Cotações
Ver todas

Notícias

Mostrando notícias publicadas com o assunto "Seca"

17 de agosto de 2016, 10:15

Comissão de Agricultura aprova proposta de Eduardo Salles para solicitar à CONAB retorno da venda subsidiada de milho

2016-08-16-PHOTO-00004634

A dificuldade imposta pela seca aos agropecuaristas baianos é uma preocupação do deputado estadual Eduardo Salles. Para diminuir os prejuízos causados em função do longo período de estiagem, o parlamentar propôs nesta terça-feira (16), durante a sessão da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa da Bahia, audiência com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para solicitar o retorno do Programa de Venda de Milho em Balcão, feito pela CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento).

A proposta foi aprovada por unanimidade dos deputados presentes à sessão. “Até mesmo municípios que tradicionalmente não sofrem com a seca estão vivendo um período crítico de falta de chuvas”, justifica Eduardo Salles. “Precisamos garantir a segurança alimentar do rebanho baiano”, emenda o parlamentar.

Quando foi secretário estadual de Agricultura e a Bahia viveu uma das maiores secas da história, Eduardo Salles, então presidente do CONSEAGRI (Conselho Nacional dos Secretários de Agricultura), conseguiu com a CONAB a abertura de 25 armazéns no interior do Estado. A ação resultou na comercialização de 150 mil toneladas de milho.

“A medida foi fundamental para evitarmos que o rebanho baiano fosse completamente dizimado”, lembra Eduardo Salles. O Programa de Venda de Milho Em Balcão permite aos agropecuaristas a compra do produto por valores até 300% mais barato do que o praticado no mercado.

O deputado estadual Roberto Carlos, presidente da Comissão de Agricultura, vai encaminhar ofício solicitando audiência com o ministro. “Eu e meus colegas vamos a Brasília mostrar a Blairo Maggi a importância do programa”, concluiu Eduardo Salles.

 

14 de setembro de 2015, 12:06

Deputado participa de debate sobre semiárido brasileiro

agropec

A abertura do AGROPEC Semiárido, que aconteceu nesta segunda-feira (14), no Hotel Fiesta, em Salvador, contou com um debate técnico sobre o semiárido brasileiro, região que agrega 1.333 municípios e abrange 56% do território nordestino.

O principal ponto abordado foi a crise hídrica. “Apesar de o Brasil ter 12% de toda a água superficial do mundo, vivemos na iminência de um caos no abastecimento”, diz o deputado Eduardo Salles, que participou do evento.

O presidente da ANA (Agência Nacional de Águas), Vicente Andreu, foi um dos palestrantes do primeiro dia de AGROPEC, que aocntece até amanhã. Em sua fala, Andreu explicou que a previsão do governo para o futuro não é boa. Segundo ele, o os efeitos do El Niño desta temporaada devem trazer estiagem até setembro de 2016.

Preocupado, Eduardo Salles solicitou ao presidente o aumento da vazão de saída da Barragem de Três Marias, em Minas Gerais. “Isso aumentaria o nível de água no Lago de Sobradinho, responsável por oferecer água para irrigação em diversos perímetros do Vale do São Francisco”, explica o parlamentar. A fruticultura irrigada gera mais de um milhão de empregos diretos e indiretos na região.

30 de junho de 2015, 10:24

Eduardo Salles propõe enviar ofício a ministro Occhi solicitando aumento percentual em repasse para flutuantes do Vale do São Francisco

Na sessão desta terça-feira (30) da Comissão de Agricultura da ALBA (Assembleia Legislativa da Bahia), o deputado Eduardo Salles alertou mais uma vez os componentes do colegiado sobre a crise hídrica no Vale do São Francisco, que ameaça mais de um milhão de empregos diretos e indiretos na região.

O deputado propôs que os membros da Comissão de Educação enviem ofício ao ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, solicitando que os recursos repassados à CODEVASF (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) para a execução de ações de abastecimento de água na região sejam proporcionalmente equivalentes à necessidade de cada estado.

Na última sexta-feira (26), o ministro anunciou investimento de R$ 38,3 milhões para ações em 12 perímetros irrigados do Nordeste. A verba vai beneficiar, além da Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, estados que também sofrem com a crise.

Segundo estudos feitos pela CODEVASF, seriam necessários R$ 51 milhões para a construção de flutuantes, equipamentos que podem bombear água quando o volume morto do Lago de Sobradinho for atingido. Desse total, R$9,7 milhões seriam destinados à Bahia e os R$ 41,3 milhões restantes aos demais estados.

No entanto, ao anunciar os recursos, o ministro Gilberto Occhi informou que, dos R$ 38,3 milhões a serem repassados pelo Ministério da Integração Nacional, a Bahia receberá apenas R$ 4,5 milhões, o que equivale a apenas 46% da necessidade do Estado. Enquanto isso, Pernambuco, Sergipe e Alagoas receberão R$ 33,8 milhões, o que corresponde a quase 82% da necessidade deles.

“Minha intenção é que a Comissão se junte ao governo estadual para solicitar que o mesmo recurso percentual seja disponibilizado para a Bahia”, diz Eduardo Salles.

A CRISE HÍDRICA

O Lago de Sobradinho, terceiro maior do mundo, está atualmente com pouco menos de 20% de sua capacidade. Neste mesmo período em 2014, o volume de água era próximo a 50%. “Corremos o risco de atingir o volume morto antes de novembro, quando começa o período de chuvas”, explica o deputado.

09 de junho de 2015, 10:15

Governo estadual se posiciona sobre crise hídrica no Vale do São Francisco

O governo estadual se posicionou em relação à crise hídrica do Vale do São Francisco, que ameaça 120 mil hectares de fruticultura irrigada e cerca de 900 mil empregos diretos e indiretos na região.

A posição foi dada nesta terça-feira (9) pelo secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, em audiência com os deputados estaduais Eduardo Salles e Zó e com Josival Barbosa, presidente da AFRUPEC (Associação dos Fruticultores do Perímetro Irrigado de Curaçá) e membro da Comissão de Produtores dos Perímetros Irrigados de Curaçá, Maniçoba, Mandacaru e Tourão, representando todos os produtores da região.

O secretário Bruno Dauster se comprometeu a enviar uma carta ao ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e ao presidente da ANA (Agência Nacional de Águas), Vicente Andreu, solicitando uma posição em relação aos riscos de encerrar o fornecimento de água para a irrigação e negociando com o governo federal a compra de flutuantes. Os equipamentos podem bombear água para os canais de irrigação caso o Lago de Sobradinho chegue em seu volume morto.

Se houver necessidade de uma contrapartida na compra dos flutuantes, o governo estadual se colocou à disposição para realizá-la. De acordo com orçamento feito pela CODEVASF (Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco), são necessários aproximadamente R$ 10 milhões para a implantação dos equipamentos nos perímetros irrigados da Bahia. Depois de encomendados, ficam prontos em um prazo de 90 dias, conforme os fabricantes.

“Parabenizo o governo pelo posicionamento em relação a esse problema que muito me preocupa e aguardo, ansioso, pelo final deste mês, prazo dado pelo secretário para que tenhamos uma resposta do governo federal e uma posição definitiva do governo estadual”, comemorou Eduardo Salles.

A SECA NO SÃO FRANCISCO

Nesta terça-feira, o Lago de Sobradinho tem apenas 21% de sua capacidade, com 978 m³/s de vazão de entrada e 950 m³/s de vazão de saída. No mesmo mês do ano passado, o volume útil era de 49%. A previsão do setor produtivo é de que o volume útil das águas chegue perto de zero em setembro deste ano.