Cotações
Ver todas

Notícias

Mostrando notícias publicadas com o assunto "Oeste"

19 de agosto de 2016, 12:17

Ministro de Minas e Energia recebe Júlio Busato e Eduardo Salles para tratar de problemas elétricos do oeste da Bahia

IMG_0213

A instabilidade energética no oeste da Bahia tem prejudicado a ampliação dos investimentos no setor agropecuário. O problema se agravou mais ainda porque a empresa vencedora da licitação para construir a linha de transmissão responsável por trazer energia da usina de Belo Monte pediu recuperação judicial e paralisou a obra.

Preocupado com a situação, o presidente da AIBA (Associação dos Agricultores Irrigantes da Bahia), Júlio Busato, solicitou e o deputado estadual Eduardo Salles conseguiu uma audiência em Brasília nesta quinta-feira (18) com o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho.

“O Oeste não tem grandes indústrias ou um turismo expressivo. A agropecuária é a base da economia da região. Em função das características climáticas, é necessário a energia elétrica para irrigarmos e agroindustrializarmos nossos produtos, gerando divisas à Bahia e ao Brasil e criando postos de trabalho”, disse Júlio Busato.

O presidente da AIBA apresentou ao ministro um estudo mostrando que em Luís Eduardo Magalhães, com 60% da área cultivada, o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) é o terceiro da Bahia. Já em Cocos, que tem apenas 6% da área plantada, a colocação do município no ranking do IDH está acima de 200.
“Por que essa diferença? Em função das terras não poderem ser agricultáveis em virtude da dificuldade enérgica para implantar a irrigação”, explicou.

Presente à audiência, o superintendente de Operações e Manutenção da COELBA, Sérgio Mello, explicou que entre maio e junho houve 14 desligamentos de energia solicitadas pela ONS (Operador Nacional do Sistema), modificação do horário de irrigação e liberação de novas ligações foram suspensas.

Silvano Ragno, superintendente de Energia e Comunicação da SEINFRA (Secretaria Estadual de Infraestrutura), fez uma apresentação técnica ao ministro dos problemas que têm ocorrido no oeste da Bahia.

Técnicos do Ministério de Minas e Energia explicaram a Fernando Bezerra que neste segundo semestre devem ficar prontas as obras da linha de transmissão responsável por trazer energia elétrica de Minas Gerais e a construção das subestações, melhorando a qualidade do serviço oferecido na região

O ministro revelou ainda que vai realizar nova licitação para a retomada das obras da linha de transmissão que traz energia elétrica da usina de Belo Monte. “São boas notícias. Agora vamos monitorar o andamento dos trabalhos e ficar sempre em contato com o corpo técnico do Ministério de Minas e Energia”, declarou Júlio Busato.
“Estou sempre à disposição para ajudar a resolver os problemas dos agricultores do oeste da Bahia. Sou representante político do setor e estarei sempre defendendo os interesses deles incondicionalmente. Na Assembleia Legislativa, nos órgãos federais, estaduais ou onde possa contribuir, estarei presente”, garantiu Eduardo Salles.

10 de março de 2016, 17:27

Eduardo Salles e presidente da AIBA têm reunião com governador para debater questões do Oeste

DSCN0207

Em função das poucas chuvas que caíram no oeste da Bahia nos meses de outubro, novembro e dezembro, e do excesso de chuva em janeiro, seguido por 38 dias de seca em fevereiro, o resultado foi uma quebra de safra de 33% na cultura da soja e 39% na safra do milho, ocasionando redução no valor bruto de produção de aproximadamente R$ 2 bilhões.

Em reunião, as diretorias da AIBA (Associação dos Agricultores dos Irrigantes da Bahia), ABAPA (Associação Baiana dos Produtores de Algodão), Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães e Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras decidiram solicitar a decretação de Estado de Emergência para nove municípios do oeste da Bahia.

Junto ao deputado estadual Eduardo Salles, o presidente da AIBA, Júlio Busato, solicitou, em reunião na manhã desta quinta-feira (10), ajuda do governador em exercício, João Leão. Outros dois assuntos também foram abordados na audiência: ajuda para evitar que a nova norma da Corregedoria do TJ-BA (Tribunal de Justiça da Bahia) dificulte que os produtores tenham acesso a crédito nas instituições financeiras; marcar audiência com a presidente do IBAMA para efetuar o desembargo de milhares de hectares na região.

“Todos os assuntos são urgentes. Não há tempo a perder porque todos esses assuntos podem ocasionar dificuldade para o produtor. E a agricultura na região é a mola da economia”, lembra Eduardo Salles.

A segunda reunião desta quinta-feira de Eduardo Salles e Júlio Busato foi com Vítor Bonfim, secretário estadual de Agricultura. Os dois foram solicitar apoio do governo estadual à Bahia Farm Show, feira de tecnologia agrícola que vai para sua 12ª edição. Esse ano o evento acontece de 24 a 28 de maio, em Luís Eduardo Magalhães.

ESTADO DE EMERGÊNCIA

Busato solicitou que a CORDEC (Coordenação de Defesa Civil) do governo estadual ajude Barreiras, Luís Eduardo Magalhães, Formosa do Rio Preto, Baianópolis, Jaborandi, Cocos, São Desidério, Riachão das Neves e Correntina a decretar Estado de Emergência para minimizar os efeitos da seca.

Outra seca como essa registrada na região ocorreu pela última vez apenas em 1989 e agora tem causado sérios prejuízos aos produtores. O reconhecimento do Estado de Emergência vai permitir aos agricultores, que têm, a partir de 30 de abril, o vencimento de suas dívidas nas instituições financeiras, poderem renegociar o débito de uma forma mais tranquila.

CARTÓRIOS

Em função de uma nova norma do TJ-BA, que exige o documento que comprova a passagem da “terra” do Estado para o agricultor. A determinação do órgão tem causado a suspensão das matrículas, causando transtornos aos produtores.

DESEMBARGO

Apesar de já ter conversado com a ministra do Meio Ambiente, Isabela Teixeira, solicitando que a legislação baiana seja respeitada, até o momento o IBAMA não desembargou milhares de hectares alegando que as terras precisam de licença ambiental.

A legislação baiana diz que os agricultores não precisam de licença ambiental, mas o IBAMA mantém os embargos às terras.

João Leão vai marcar audiência com a presidente do IBAMA, Marilene de Oliveira, para entender porque o órgão segue em direção oposta à determinação do Ministério do Meio Ambiente.

BAHIA FARM SHOW

Na SEAGRI (Secretaria Estadual de Agricultura), o chefe da pasta, Vítor Bonfim, recebeu Eduardo Salles, Júlio Busato e representantes das secretarias estaduais de Desenvolvimento Rural (SDR), Desenvolvimento Econômico (SDE), Meio Ambiente (SEMA) e Ciência e Tecnologia (SECTI) para apresentar o projeto da 12ª edição do Bahia Farm Show, que esse acontece de 24 a 28 de maio, em Luís Eduardo Magalhães.

A edição do ano passado, segundo dados apresentados por Júlio Busato, movimento R$ 1,03 bilhão. “A feira oferece tecnologia para todos os produtores. O pequeno, o familiar, o médio e o grande”, disse o presidente da AIBA.

As secretarias estaduais vão analisar como podem patrocinar o evento.

10 de março de 2016, 11:29

SEINFRA confirma início das obras de recuperação da BA-225

OESTE

O secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, recebeu nesta quarta-feira (9) o deputado estadual Eduardo Salles e o presidente da AIBA (Associação dos Agricultores Irrigantes da Bahia), Júlio Busato, para solicitar informações sobre a recuperação da BA-225 (Coaceral) e BA-459 (Anel da Soja).

“As rodovias têm importância fundamental à economia da região e da Bahia porque é por onde escoa a produção de grãos do Oeste, um dos maiores polos de produção de alimentos do Brasil. A agropecuária, mesmo na crise, foi o setor que gerou empregos”, ressaltou Eduardo Salles.

Cavalcanti explicou que a PGE (Procuradoria Geral do Estado) já autorizou a contratação da RODOCON, empresa que vai ficar responsável pela recuperação da BA-225. “Os recursos são da ordem de R$ 13 milhões, provenientes da CIDE (Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico)”, explicou o secretário.

“A RODOCON já iniciou a mobilização para realizar a obra”, revelou Marcus Cavalcanti.

Em relação à solicitação de recuperação da BA-459, que tem 150 quilômetros de extensão e corta os municípios de Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves, Formosa do Rio Preto e Barreiras, Cavalcanti disse que a SEINFRA (Secretaria Estadual de Infraestrutura) estuda fonte de recursos para iniciar a obra.

28 de outubro de 2015, 17:06

Eduardo Salles, Antônio Henrique e produtores solicitam recuperação das BA-225 e BA-459

oeste na seinfra

O secretário estadual de Infraestrutura (SEINFRA), Marcus Cavalcanti, recebeu, na manhã desta quarta-feira (28), os deputados estaduais Eduardo Salles e Antônio Henrique, o presidente da AIBA (Associação dos Agricultores Irrigantes da Bahia), Júlio Busato, e mais cinco produtores do oeste da Bahia. Na pauta da audiência, a urgência na recuperação das BA-225 (Coaceral) e BA-459 (Anel da Soja).

“Além de estarem em condições precárias, o que já caracteriza a necessidade de melhorias, está chegando o período de chuvas, que pode inviabilizar completamente o tráfego de veículos”, explica Eduardo Salles.

As rodovias são responsáveis pelo escoamento de grande parte de produção de soja, algodão e milho. “Esses produtos são fundamentais à economia da região e da Bahia”, alerta Antônio Henrique.

Na última segunda-feira (26), produtores interditaram os dois sentidos do tráfego de veículos no entroncamento BA-225 com a BR-135, trecho localizado em Formosa do Rio Preto. Os manifestantes reclamam da quantidade de buracos na rodovia.

Em relação à BA-225, Cavalcanti explicou aos parlamentares e produtores que a empresa vencedora da licitação desistiu do serviço, mas a SEINFRA já começou os trâmites burocráticos para convocar a segunda colocada. “Eu e Antônio Henrique nos dispomos a tentar na PGE (Procuradoria Geral do Estado) agilizar esse processo”, disse Eduardo Salles.

Sobre o Anel da Soja, o secretário revelou que o BNDES negou os R$ 20,6 milhões requisitados porque, segundo a instituição financeira, o valor é muito baixo e não seria suficiente para recuperar 158 dos 233 quilômetros da rodovia, mas apenas manutenção, atividade não financiada pelo banco.

Cavalcanti encomendou um estudo para fazer melhorias emergenciais enquanto tenta viabilizar recursos em outro agente financeiro e realizar as obras de recuperação completa.