Cotações
Ver todas

Notícias

Mostrando notícias publicadas com o assunto "Mirabela"

10 de maio de 2016, 18:31

Eduardo Salles lamenta suspensão de ativiades da Mirabela Mineradora

mirabela-1-1024x768

A Mirabela Mineradora anunciou nesta terça-feira (10), através de ofício, a suspensão de suas atividades de mineração de níquel sulfetado no município de Itagibá, no interior da Bahia. O deputado estadual Eduardo Salles, que participou de diversas reuniões na tentativa de evitar a suspensão e, em consequência, a demissão de mais de mil funcionários diretos e indiretos, lamentou o ocorrido. “Sei que eu e o governo estadual fizemos tudo o que estava ao nosso alcance. Ao mesmo tempo em que tenho a sensação de dever cumprido, me entristeço com a notícia e me solidarizo com as famílias dos ex-funcionários da empresa”, disse o parlamentar.
RETROSPECTIVA
Desde o início do ano, quando a Mirabela anunciou a intenção de encerrar as atividades em Itagibá, Eduardo Salles tem participado de audiências para tentar reverter a situação e salvar os postos de trabalho que beneficiam toda a região, incluindo os municípios de Itagibá, Ipiaú e Ibirataia.
O deputado esteve em contato com o presidente da CODEBA (Companhia das Docas da Bahia), José Rebouças, mediando negociações de dívidas entre a empresa e o órgão, com o chefe da Casa Militar da Bahia, Coronel Gomes, para garantir a reintegração de posse de terras da mineradora que estavam ocupadas pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), e com o presidente do Sindicato dos Funcionários da Mirabela, Gilmar Oliveira, ajudando nas negociações do acordo coletivo.
Salles também participou de audiências com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jorge Hereda, e sua equipe para garantir créditos tributários e se reuniu com o presidente da CBPM (Companhia Baiana de Pesquisa Mineral), Alexandre Brust, visando equalizar débitos.
o deputado ainda apoiou e participou de audiência pública realizada pela Comissão de Indústria e Comércio da Câmara Municipal de Ipiaú, presidida pela vereadora Margarete do Abrigo, que tratou da possibilidade de paralisação das atividades da Mirabela e contou com a participação de deputados federais e estaduais, dirigentes da Mirabela, prefeitos e vereadores de municípios da região e representantes de sindicatos e da sociedade civil.
“Infelizmente, o declínio do preço do níquel no mercado mundial tornou insustentável a continuidade das atividades da mineradora”, lamentou Eduardo Salles.
MIRABELA
A Mirabela Mineração produz níquel, cujo mercado passa por uma crise mundial. O preço atual da libra é de US$ 3,90 e a empresa, após reduzir o custo de produção, gasta US$ 4,10 por libra. Quando a Mirabela se instalou na Bahia, a libra de níquel custava US$8,76. A constante redução do preço do minério tornou inviável a produção da empresa.
POSSIBILIDADE DE REATIVAÇÃO DA MINERADORA
Apesar da suspensão das atividades de mineração de níquel sulfetado, a Mirabela anunciou que continuará o desenvolvimento do Projeto Níquel Laterítico, objetivando a venda de minério bruto para uma empresa colombiana.
O níquel laterítico tem competitividade no mercado e, com isso, a empresa poderia recontratar cerca de 300 funcionários diretos para trabalhar na mina. Nesse caso, a indústria de mineração não necessitaria funcionar.
Caso o projeto se concretize, o volume de minério que passará pelo Porto de Ilhéus para exportação aumentará em quase 10 vezes. “Isso vai ajudar a gerar emprego tanto para quem trabalha no porto quanto para caminhoneiros”, diz o deputado.

19 de abril de 2016, 17:58

Eduardo Salles participa de reuniões para tentar reverter fechamento da mineradora

mirabela 1

Na tentativa de reverter a decisão da Mirabela Mineradora de encerrar as operações e demitir mais de mil funcionários entre diretos e indiretos, o deputado estadual Eduardo Salles participou de diversas reuniões nos últimos dias. “Estou fazendo a minha parte. Quero estar com minha consciência tranquila, sabendo que fiz tudo o que estava ao meu alcance para evitar a suspensão das atividades da empresa”, diz o parlamentar.

Na última segunda-feira (18), Salles esteve em audiência nesta com o presidente da CODEBA (Companhia das Docas da Bahia), José Rebouças, e o diretor de operações da mineradora, Julio Sanches.
“Foi uma reunião produtiva. A CODEBA se mostrou aberta a negociações e confirmou que a mineradora pode oficializar solicitação de benefícios equivalentes aos que existiam”, conta o deputado. A solicitação será submetida à aprovação da diretoria.
O diretor da Mirabela também solicitou ao presidente da CODEBA a possibilidade de reparcelamento da dívida da Mirabela. “Essa dívida havia sido parcelada anteriormente em duas vezes. A primeira metade já foi paga e, depois disso, foi feito um embarque no porto. Mas a empresa está com dificuldades para fazer o pagamento da segunda parcela”, explica Salles. De antemão, o presidente José Rebouças e o diretor comercial da CODEBA, Maurício Dorea, que também participou da audiência, afirmaram que, após solicitação oficial da mineradora, levarão o assunto à próxima reunião de diretoria da companhia para avaliação.

A Mirabela informará também através de ofício que parte de uma dívida que é discutível, segundo parecer do departamento jurídico da mineradora, será judicializada para que as partes possam discutir em juízo, sem necessidade de atrapalhar o andamento das demais negociações.

OCUPAÇÃO DO MST
Além do acordo com a CODEBA, a mineradora alegou outros dois motivos para o encerramento das atividades. Um deles era a ocupação pelo MST (Movimento Sem Terra) à propriedade da empresa, no município de Itagibá. Quando tomou conhecimento do fato, Eduardo Salles entrou em contato com o chefe da Casa Militar da Bahia, Coronel Gomes, que enviou para o Comando da Polícia Militar o documento encaminhado pelo judiciário que ordenava a reintegração de posse. “A propriedade da empresa foi desocupada na última sexta-feira”, informa o diretor da empresa.

ACORDO COLETIVO
A terceira justificativa da Mirabela foi a falta de entendimento com os funiconários em relação ao acordo coletivo. “Venho conversando sobre isso com Gilmar Oliveira, presidente do Sindicato dos Funcionários da Mirabela. Hoje ele me afirmou que está pronto para sentar com a diretoria da empresa para ajustar alguns itens e assinar os termos finais”, conta o deputado.

SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES
Mesmo com a solução dos pontos em questão, ainda há possibilidade de suspensão das atividades da Mirabela. Foi o que disse o diretor financeiro da mineradora, Milson Mundin, em reunião realizada nesta terça-feira (19), no gabinete do deputado.
De acordo com Mundin, a empresa enfrenta dificuldades em fechar contratos de venda do níquel produzido. “O cliente quer fazer um contrato de três anos, mas não podemos garantir produto para depois de 2016, em função da operação atualmente estar sendo feita com prejuízo”, explica o diretor. A questão tem sido negociada instensivamente pela presidente e diretores da empresa.
No entanto, segundo Mundin, caso a suspensão das atividades se concretize, a empresa manterá um grupo de trabalho com o objetivo de que as operações sejam retomadas o mais rápido possível.

PROJETO DE NÍQUEL LATERÍTICO
Dos cerca de 500 empregados diretos da mineradora, aproximadamente 300 trabalham na mina e os outros 200 em cargos administrativos ou na fábrica. Hoje, grande parte dos funcionários da mina estão parados e a empresa opera apenas nos outros setores, principalmente no processamento do minério já extraído.
A presidente da empresa, Maryse Belanger, sinalizou ao deputado a possibilidade de a mineradora passar a trabalhar com níquel laterítico, cujo processo industrial é diferente do níquel sulfetado, atual produto da Mirabela. “Dessa forma, os cerca de 300 empregos referentes à mina seriam mantidos, já que a extração do minério é realizada de forma semelhante, porém sem ser processado na indústria. Ele seria comercializado de forma bruta”, explica Julio Sanches.
Segundo Milson Mundin, a diretoria da empresa receberá, daqui a 10 dias, clientes colombianos interessados em comprar o níquel laterítico.
Caso o projeto se concretize, o volume de minério que passará pelo porto de Illhéus aumentará em quase 10 vezes. “Isso vai ajudar a gerar emprego tanto para quem trabalha no porto quanto para caminhoneiros”, diz o deputado.

Mirabela,
A Mirabela Mineração tem um custo de produção normal de US$ 5,50. Atualmente, a empresa trabalha com uma operação provisória, deixando de retirar um resíduo do minério, com custo de US$ 4,50.
Segundo julio Sanches, para que a empresa consiga operar em 2016, o preço de venda do níquel precisa chegar a US$ 4,50. Hoje o minério é comercializado a US$ 4,10. “Cada 10 centavos de dólar no preço do níquel representa R$ 9 milhões de caixa negativo para a empresa”, explica Mundin.

21 de março de 2016, 19:20

Acordo garante manutenção de 1.000 empregos em Itagibá e região

IMG-20160321-WA0028Depois de meses de expectativa e preocupação, cerca de 1.000 trabalhadores que têm seus postos de trabalhos ligados de forma direta e indireta à Mineradora Mirabela, instalada no município de Itagibá, podem dormir com tranquilidade. “É um dia histórico para a região. A perda desses empregos seria uma catástrofe”, disse o deputado estadual Eduardo Salles.

Em reunião no final da tarde desta segunda-feira (21), na SDE (Secretaria de Desenvolvimento Econômico), um acordo foi selado entre representantes da Mirabela, sindicalistas, parlamentares e o secretário Jorge Hereda.

Os deputados estaduais Fabíola Mansur, Fabrício Falcão e Euclides Fernandes, além de representante dos deputados federais Bebeto Galvão e Daividson Magalhães, que não puderam comparecer por compromisso assumidos em Brasília, também participaram da reunião.

A empresa concordou com a proposta do governo do estado sobre a devolução dos créditos tributários. “O governador é um dos grandes responsáveis por esse acordo sair. Além da Mirabela. Todos cederam e conseguimos, dentro da responsabilidade, garantir a manutenção das atividades”, explicou o secretário.

Eduardo Salles acompanhou desde o início as negociações para evitar o fechamento da empresa. “A crise no preço das commodities fez despencar o valor do níquel, e fez com que o custo de produção ficasse maior. A Mirabela não podia mais trabalhar com essa diferença”, acrescentou o deputado.

No último dia 17, em audiência com o presidente da CODEBA (Companhia de Docas da Bahia), José Rebouças, Eduardo Salles mediou acordo para a Mirabela realizar o embarque de níquel agora em março e voltar a ter benefício para utilizar o porto de Ilhéus.

Na sexta-feira (18), em conversa com Maryse Belanger, presidente da Mirabela, Eduardo Salles a convenceu a prorrogar até quarta-feira (23) o aviso prévio dos funcionários, que venceria no domingo (20). “Desta forma ganhamos tempo para firmar o acordo, selado nesta segunda-feira”, justificou.

A única modificação que a empresa pretende fazer é terceirizar os funcionários da área de transporte, mas Milson Muden, diretor financeiro da Mirabela, garante que vai aproveitar os trabalhadores hoje nos cargos e aumentar o número de postos de trabalho.

“Estamos convicto de que é uma boa proposta”, frisou Irailson Warveaux, conhecido como “Gazo”, diretor do SINTEPAVE (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada e Montagem da Bahia).

Aurelino Santos, da FETIN (Federação dos Trabalhadores Metalúrgicos e Mineradores da Bahia) parabenizou os deputados. “Quero agradecer em espacial a Eduardo Salles, que ajudou desde o início e nunca deixou de nos apoiar para evitarmos que esses postos de trabalho fossem perdidos”, agradeceu o sindicalista.

“Não só os trabalhadores da Mirabela, de forma direta ou indireta, vão dormir tranquilos hoje. Toda uma região vai respirar aliviada. Apenas o comércio de Ipiaú, caso a mineradora fechasse, perderia R$ 1 milhão em circulação. Isso significaria um caos com desemprego em massa”, declarou Eduardo Salles.

“Tivemos muito cuidado de nunca partidarizar essa luta, desde a audiência pública ocorrida em Ipiaú, por iniciativa da vereadora Margarete do Abrigo e que eu pude apoiar. Não existe pai da criança. Todos nós juntos somos vencedores”, celebrou o parlamentar.

Para concluir, Milson e o representante de 98,5% dos acionistas da Mirabela, Doug Flannery, que veio de Nova Iorque para a reunião, explicaram que a empresa pretende em 2017 explorar o níquel laterítico, gerando mais 200 postos de trabalho.

Estiveram presentes também à reunião Paulo Sérgio Ferraro, Luiz Gonzaga e Eduardo Sampaio, superintendente e assessores da SDE.

 

19 de março de 2016, 15:10

Eduardo Salles participa de comemorações do padroeiro de Ibirataia

Os moradores de Ibirataia finalizaram neste sábado (19) a novena em homenagem ao padroeiro da cidade, São José. O deputado Eduardo Salles esteve presente e acompanhou os eventos oficiais que fizeram parte do calendário da festa.

Na sexta-feira (18) à noite, a Paróquia São José realizou missa dedicada aos representantes políticos. Além de Eduardo Salles, estavam presentes o prefeito Marco Aurélio, a vice-prefeita Ana Cléia, o deputado federal Mário Júnior, o presidente da Câmara, Caio Pina, e demais vereadores.

Em seguida, a festa aconteceu na praça da igreja, com direito a barracas de quitutes e um show de calouros com moradores de Ibirataia. No final, o deputado foi convidado, juntamente com as demais autoridades, para entregar o troféu aos melhores calouros da noite.

Já neste sábado (19), dia do padroeiro, também santo dos agricultores, a cidade encerrou as comemorações com missa solene realizada na Paróquia São José, comandada pelo bispo Don Mauro, da Diocese de Ilhéus.

Finalizando os compromissos em Ibirataia, o deputado acompanhou a entrega de dois carros à Secretaria Municipal de Saúde. Os veículos são fruto da emenda parlamentar do deputado federal Mário Júnior. Com isso, os moradores da zona rural serão beneficiados e transportados com mais rapidez e segurança em chamadas de urgência.

CONECTADOS

Além das comemorações pelo dia de São José, os moradores do distrito de Algodão, em Ibirataia, também têm outro motivo para festejar. Neste sábado completa um ano que o deputado esteve na região para verificar a conclusão do serviço de montagem de antena em um terreno da Prefeitura de Ibirataia. Pleito feito ao parlamentar que ele conseguiu efetivar. “Foi uma luta muito grande e eu só tenho que parabenizar os moradores por essa vitória”, disse Eduardo.

Nesse mesmo dia, o prefeito Marco Aurélio, o vereador Peruca e outras lideranças políticas do distrito de Algodão aproveitaram e mostraram ao deputado Eduardo Salles as péssimas condições do centro comercial de Algodão, solicitando ao parlamentar ajuda para reformar.

Seis meses depois, o prefeito assinou na CAR (Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional) o convênio que permitiu o início das obras, ainda em execução. “Em breve o mercado será reinaugurado”, comemora Salles

ITAGIBÁ

Aproveitando a estadia na região do Território do Médio Rio de Contas, Eduardo Salles participou de café da manhã em Itagibá, na casa de Léo Quadros, pré-candidado a prefeito e pai do atual vice-prefeito, Hélio Quadros, também presente.

O deputado comemorou o avanço da última reunião com representantes da mineradora Mirabela, que efetivou a prorrogação do aviso prévio dos 470 funcionários. “As negociações estão avançando para um acordo definitivo, que garantirá a manutenção das atividades da empresa”, explicou.

“Nós últimos meses, eu me preocupei com essa questão do fechamento da Mirabela como se fosse um funcionário da empresa. A minha maior preocupação era os trabalhadores que iriam ficar desempregados”, disse.

Outra questão levantada por Eduardo Salles foi as condições da rodovia que vai de Ipiaú à Itagibá. “Pude observar que a estrada ainda tem um trecho em condições muito ruins, apesar de ter sido consertado um bom trecho. Vou batalhar para finalizar os cerca de sete quilômetros que restam ser recuperados”, concluiu Salles.

17 de março de 2016, 15:31

Eduardo Salles media acordo entre Mirabela e CODEBA para tentar evitar fechamento da mineradora

CODEBA

A agenda do deputado estadual Eduardo Salles está completamente direcionada à tentativa de conversar com técnicos do governo e representantes da Mirabela Mineradora para tentar evitar o fechamento da empresa e a perda de 1.000 postos de trabalho, entre diretos e indiretos. Os funcionários receberam aviso prévio e o prazo encerra no dia 20 de março.

Durante toda a semana o parlamentar cancelou compromissos de viagem para debater em diversas instâncias. Nesta quinta-feira (17) o parlamentar teve audiência com José Muniz Rebouças, presidente da CODEBA (Companhia de Docas do Estado da Bahia), para alinhar um acordo entre o órgão e Mirabela que permita à empresa voltar a ter benefícios no embarque das cargas de níquel no porto de Ilhéus e consiga embarcar produtos nos próximos dias.

“Posso até não conseguir resolver o problema por uma série de motivos que fogem da minha alçada, mas não vou ficar quieto sabendo que cerca de 1.000 trabalhadores podem perder seus empregos. Sou o deputado estadual votado na região e tenho a obrigação de representar esses municípios”, disse Eduardo Salles.

Durante a audiência com Rebouças, Eduardo Salles falou, por telefone, com um diretor da empresa confirmando a proposta do presidente da CODEBA, que é a divisão em três parcelas do débito não-discutível, enquanto que a dívida discutível será decidida de forma judicial.

“A proposta aprovada por ambas as partes para o embarque da próxima carga da Mirabela pelo Porto de Ilhéus é que a empresa efetive o pagamento da primeira parcela das três do débito não-discutível. Esse foi o acordo que firmamos na reunião”, esclarece Salles.

“O presidente da CODEBA assumiu também o compromisso de estudar qual será o benefício oferecido à Mirabela para a empresa continuar a embarcar suas cargas no porto de Ilhéus e não onerar tanto seus custos de produção”, acrescentou o parlamentar.

A empresa alega que em função da queda internacional do preço do níquel em mais de 50%, precisa reduzir os gastos inerentes a garantia da competitividade internacional.

Outra solicitação da Mirabela é a manutenção dos custos de embarque com o benefício que eles tinham até dezembro de 2014. “São pontos importantes para que consigam superar esse momento difícil”, contou.

“A proposta do governo estadual tende a ser aceita pela Mirabela. A outra boa notícia é que é provável que siga a comercialização internacional de níquel por parte da empresa, o que viabiliza a manutenção dos empregos”, revelou.

O parlamentar está durante todo o dia em contato com a diretoria e a presidência da Mirabela. “A minha proposta é que caso não consigamos fechar esse acordo em tempo hábil, sejam prorrogados os avisos prévios e possamos na próxima semana, com a participação de todos os envolvidos, assinar o acordo”, propõe Salles. “Não podemos é prejudicar os trabalhadores”, acrescentou.

AUDIÊNCIA PÚBLICA

No último dia 7 de março, em Ipiaú, a vereadora Margarete do Abrigo, com o apoio do deputado estadual Eduardo Salles, realizou audiência pública para tratar da questão do encerramento das atividades da Mirabela na região.

A audiência foi proposta e aprovada por unanimidade pela Comissão de Indústria, Comércio da Câmara de Ipiaú, composta por Margarete do Abrigo, Orlando Santos, Milton Santa Cruz e Jô da ABB. “Foram convidados todos os deputados federais e estaduais independente de bandeira partidária”, lembra Eduardo Salles. Estiveram presentes a deputada estadual Fabíola Mansur e os parlamentares federais Bebeto Galvão e Davidson Magalhães, que já vinham envolvidos no assunto desde o começo.
Prefeitos e vereadores de municípios vizinhos, sindicatos e representantes da sociedade civil também marcaram presença na audiência pública.

“Estamos em um movimento suprapartidário. Nesta luta todos os deputados votados na região estarão juntos com um só objetivo que é encontrar caminhos para a manutenção da operação da mineradora e consequentemente dos empregos”, afirmou na ocasião o deputado estadual Eduardo Salles.

O fechamento da Mirabela, instalada em Itagibá, vai impactar na economia do município. Ipiaú, Ibirataia e Barra do Rocha devem sofrer os impactos do término das atividades, acredita o parlamentar.

“Apenas na economia de Ipiaú, conforme a CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) local, deixarão de circular R$ 1 milhão. É claro que o desemprego vai ser inevitável”, preocupa-se o deputado estadual.