Cotações
Ver todas

Notícias

Mostrando notícias publicadas com o assunto "Adelson Maia"

15 de julho de 2016, 08:55

Projeto do fusegate da Barragem de Ponto Novo inclui agricultura irrigada e piscicultura para 100 famílias

DSCN3131 (1)

O projeto de R$ 14 milhões para aquisição e instalação do fusegate (sistema de controle de vertedouros formado por elementos independentes de concreto e/ou de aço para aumentar a segurança hídrica, impedindo a sangria de água nos momentos de cheia) da Barragem de Ponto Novo vai oferecer outros benefícios à comunidade além da segurança hídrica.

O recurso vai permitir a 60 famílias áreas de cinco hectares para cada uma, com a garantia de irrigação em dois hectares. Outras 40 famílias participarão de projeto de piscicultura. A informação foi confirmada nesta quinta-feira (14) ao deputado estadual Eduardo Salles durante a audiência do parlamentar com o presidente da CAR (Companhia de Ação e Desenvolvimento Regional), Wilson Dias.

Além da área irrigada de hortifruticulturas e projeto de piscicultura, o projeto prevê a instalação de uma agroindústria de doces.

Na quinta-feira (21), representantes do FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) vêm a Salvador para fazer os últimos ajustes técnicos com agentes do governo estadual em relação à compra do equipamento, já que o Banco Mundial nunca financiou esse tipo de equipamento, produzido com tecnologia francesa.

O FIDA contratou um técnico para visitar na próxima semana a Barragem do França, onde já foi instalado o fusegate, e depois ir à Barragem de Ponto Novo.

Na semana passada, Eduardo Salles participou de audiências com o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, o presidente da CERB (Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia), Marcus Bulhões, e o secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, para tratar exclusivamente sobre a aquisição do fusegate da barragem de Ponto Novo.

A expectativa do presidente da CAR é que 30 dias após a visita do técnico do FIDA às barragens do França e de Ponto Novo o governador Rui Costa possa assinar a ordem de serviço da obra.

O fusegate na Barragem de Ponto Novo apresenta como vantagem o aumento de 24 % da capacidade de armazenamento da barragem, não ter custos para desapropriações, funciona sem fontes de energia ou funcionários, a instalação é rápida, tem baixo custo de manutenção, é 10 vezes mais econômico e cinco vezes mais rápido.

12 de julho de 2016, 16:30

Reunião técnica dia 21 define cronograma para aquisição do fusegate da Barragem de Ponto Novo

 

13432413_10201623551347302_3231959697769282541_n

Luta antiga do deputado estadual Eduardo Salles, do prefeito Adelson Maia, dos vereadores e da população de Ponto Novo, o fusegate, sistema de controle de vertedouros formado por elementos independentes de concreto e/ou de aço para aumentar a segurança hídrica, impedindo a sangria de água nos momentos de cheia, da Barragem de Ponto Novo foi pauta na última quinta-feira (7) de reunião do governador Rui Costa, do secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, do secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, do presidente da CAR (Companhia de Ação e Desenvolvimento Regional), Wilson Dias, e do presidente da CERB (Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia), Marcus Bulhões.

Ficou acordado que no dia 21 de julho os técnicos do governo participam de reunião com representantes do FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) para fazer o acordo técnico em relação à compra do equipamento, já que o Banco Mundial nunca financiou esse tipo de equipamento, produzido com tecnologia francesa. O investimento aproximado é de R$ 7,5 milhões.

Na semana passada, Eduardo Salles participou de audiências com Cássio Peixoto e Marcus Bulhões para tratar exclusivamente sobre a aquisição do fusegate da barragem de Ponto Novo, quando foi informado da reunião técnica marcada para dia 21 de julho. A data da audiência foi confirmada ao parlamentar e ao secretário de Agricultura de Ponto Novo, Zenóbio José da Silva, nesta segunda-feira (11), em Juazeiro, por Jerônimo Rodrigues.

“Meu objetivo é que logo após o acordo técnico com o Banco Mundial ocorra, o governador possa ir a Ponto Novo assinar a ordem de serviço do fusegate, tranquilizando a população”, disse Eduardo Salles.

O fusegate apresenta como vantagem o aumento de 24 % da capacidade de armazenamento da barragem, não ter custos para desapropriações, funciona sem fontes de energia ou funcionários, a instalação é rápida, tem baixo custo de manutenção, é 10 vezes mais econômico e cinco vezes mais rápido.

Na Barragem de Ponto Novo, o fusegate vai aumentar o nível máximo normal em 1,2m e do volume em 9,34 hm³. A expectativa é que a execução da obra demanda alguns meses para ser concluída.

ENTENDA O PROBLEMA

Há quase 20 anos, a Barragem de Ponto Novo foi construída para a implantação do projeto de irrigação no município. A obra permitiu a criação de milhares de postos de trabalho no semiárido baiano. “Hoje apenas 1.200 hectares estão produzindo e gerando cerca de 1.500 empregos diretos, números que correspondem apenas a metade da capacidade”, explica Eduardo Salles.

O restante da área ainda não é cultivada por causa da escassez de água e o direcionamento do recurso para suprir a demanda humana de outros municípios. “O fusegate vai permitir mais segurança hídrica, tanto para o consumo humano das comunidades vizinhas, como à geração de emprego aos jovens que entram no mercado de trabalho”, concluiu Eduardo Salles.

18 de junho de 2016, 15:31

Fusegate da barragem de Ponto Novo é pauta da reunião de Eduardo Salles e Adelson Maia na SIHS

IMG-20160618-WA0012

Acompanhado do prefeito de Ponto Novo, Adelson Maia, o deputado estadual Eduardo Salles participou na última quinta-feira (16) de audiência com o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, para saber informações sobre os fusegates, equipamentos que permitem aumentar o volume de água dos reservatórios da Barragem de Ponto Novo.

“O secretário nos garantiu que o compromisso assumido pelo governo será honrado. O recurso para os fusegates já existe e Cássio vai levar o assunto à próxima reunião com o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster”, conta Eduardo Salles.

TUBOS
O deputado e o prefeito também solicitaram celeridade na entrega dos 14 km de tubos que serão fornecidos pela  após assinatura de convênio com a CERB (Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia). O material será utilizado em três redes de abastecimento que vão beneficiar 260 famílias em sete localidades da zona rural de Ponto Novo.

Cássio Peixoto informou que a EMBASA já expediu a conexão da tubulação com sua adutora.

Também estavam presentes à reunião o presidente da Associação dos Reassentados de Ponto Novo, Givanilton Santos, os representantes do distrito de irrigação de Ponto Novo, Adalberto Souza e José Silva, e o representante dos produtores, Elivandro Lima.

01 de junho de 2016, 10:23

Sítio Barreiras, de Ponto Novo, recebe prêmio Melhores Empresa Para Trabalhar na Bahia

DSCN2475

Única empresa do setor agropecuário no ranking das 10 melhores no prêmio Melhores Empresas para Trabalhar, uma das pesquisas mais influentes de avaliação no índice de confiança dos funcionários e análise de práticas de gestão de pessoas, conduzida no Brasil pela GPTW (Great Place To Work), o Sítio Barreiras, com sede em Ponto Novo, ficou em quarto lugar no geral.

A entrega da premiação reuniu empresas bem avaliadas pelos funcionários na Bahia e ocorreu na última segunda-feira (30), em Salvador. Como forma de reconhecer esse trabalho, o instituto GPTW, em parceria com o jornal CORREIO e a ABRH-Bahia (Associação Brasileira de Recursos Humanos), trouxe pela terceira vez ao estado a premiação, baseada na avaliação do nível de confiança dos funcionários em cinco modalidades: credibilidade, respeito, imparcialidade, orgulho e camaradagem.

O deputado estadual Eduardo Salles acompanhou a premiação junto com Fábio Régis, diretor do Sítio Barreiras, e do prefeito de Ponto Novo, Adelson Maia.

“Ter uma empresa de Ponto Novo em um evento internacional como a GPTW é uma forma dar visibilidade à cidade e mostrar os valores que a empresa tem para com os seus funcionários”, comemorou Eduardo Salles. “Fábio Régis é um exemplo de empresário não só pela excelência de seus produtos, mas também por sua preocupação em ter uma gestão de pessoas inovadora e compromisso com social”, acrescentou o parlamentar.

O Sítio Barreiras fica em Ponto Novo e tem a banana com a sua produção principal. O local chega a produzir 300 toneladas da fruta por mês em uma área de 600 hectares. Gerando mais de 400 empregos diretos em todo o estado, a sua produção é comercializada na Bahia, Sergipe, Ceará e Maranhão.

“Ter a empresa como uma das indicadas e premiada é uma forma de reconhecimento pelo trabalho que toda a equipe vem fazendo há quase 10 anos em Ponto Novo. Eu fico extremamente contente pela avaliação que meus funcionários fizeram da empresa e que nos trouxe até aqui”, celebrou Fábio Régis.

Para o gerente de marketing e mídias digitais do CORREIO, Fábio Gois, o evento é uma vitrine para as empresas de reconhecimento do estado. “As boas práticas e a conduta que os gestores têm com os seus funcionários fazem com que as empresas se destaquem exatamente por entenderem o valor que cada um deles tem”, disse.

Ranking das melhores empresas para trabalhar na Bahia

1º colocado: Laboratório Sabin, Salvador

2º colocado: Laboratório Leme, Salvador

3º colocado: Dínamo Engenharia, Feira de Santana

4º colocado: Sítio Barreiras, Ponto Novo

5º colocado:  Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador

6º colocado:  Natulab Laboratório Farmacêutico, Santo Antônio de Jesus

7º colocado: Kordsa Global, Camaçari

8º colocado: Perini, Salvador

9º colocado: Continental Pneus, Camaçari

10º colocado:  Grupo Ramiro Campelo Comércio e Utilidades, Salvador

 

04 de maio de 2016, 15:50

Embasa resolve diminuir captação de água da barragem de Pedras Altas

Barragem de Pedras Altas_Foto_Cássia_Dias

A EMBASA (Empresa Baiana de Saneamento) decidiu nesta quarta-feira (4) reduzir em 50% a captação de água da barragem de Pedras Altas, no município de Capim Grosso. Esse percentual será retirado a partir de agora da barragem de São José do Jacuípe, que, depois das chuvas registradas em janeiro, atualmente está com 63 milhões de metros cúbicos o mesmo volume da soma do armazenamento atual das barragens de Ponto Novo (30 milhões de metros cúbicos) e Pedras Altas (33 milhões de metros cúbicos).

Conforme a decisão da EMBASA, o sistema de abastecimento de água do sisal, responsável por suprir a demanda de 22 municípios, com aproximadamente 200 mil pessoas, receberá 50% do total da barragem de Pedras Altas e a outra metade da barragem de São José do Jacuípe.

A redução da captação de água na barragem de Pedras Altas é uma solicitação antiga feita pelo deputado estadual Eduardo Salles e o prefeito de Ponto Novo, Adelson Maia. “Ainda nesta terça-feira (3), solicitei aos secretários estaduais da Casa Civil, Bruno Dauster, e de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (SIHS), Cássio Peixoto, a necessidade de resolver esse problema”, explicou o parlamentar.

Eduardo Salles observa que é preciso evitar futuros “conflitos de água” neste momento em que há oferta do recurso na barragem de São José do Jacuípe.

Segundo Marcelo Nunes Abreu, diretor de Segurança Hídrica da SIHS, já foi feita nos últimos dias a análise da água da barragem de São José do Jacuípe. “É de boa qualidade”, garante.

A captação de água na barragem de Pedras Altas ocorria porque a barragem de São José do Jacuípe estava com apenas 1,7% de sua capacidade. “As chuvas que caíram em janeiro foram acima das médias históricas e elevaram o volume, permitindo que retiremos a partir de agora só 50% da necessidade de água da adutora do sisal”, conta Nunes Abreu.

O deputado estadual lembra a importância de estocar água nas barragens da Bacia do Alto Itapicuru (Pedras Altas, Ponto Novo e Pindobaçu). “Caso seja necessário, a barragem de Pedras Altas fará o abastecimento humano de alguns municípios. Desta forma, a barragem de Ponto Novo vai continuar a fornecer água para o perímetro irrigado, que gera milhares de empregos da região”, afirma Eduardo Salles.