Cotações
Ver todas

12 de julho de 2016

Reunião técnica dia 21 define cronograma para aquisição do fusegate da Barragem de Ponto Novo

 

13432413_10201623551347302_3231959697769282541_n

Luta antiga do deputado estadual Eduardo Salles, do prefeito Adelson Maia, dos vereadores e da população de Ponto Novo, o fusegate, sistema de controle de vertedouros formado por elementos independentes de concreto e/ou de aço para aumentar a segurança hídrica, impedindo a sangria de água nos momentos de cheia, da Barragem de Ponto Novo foi pauta na última quinta-feira (7) de reunião do governador Rui Costa, do secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, do secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, do presidente da CAR (Companhia de Ação e Desenvolvimento Regional), Wilson Dias, e do presidente da CERB (Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia), Marcus Bulhões.

Ficou acordado que no dia 21 de julho os técnicos do governo participam de reunião com representantes do FIDA (Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola) para fazer o acordo técnico em relação à compra do equipamento, já que o Banco Mundial nunca financiou esse tipo de equipamento, produzido com tecnologia francesa. O investimento aproximado é de R$ 7,5 milhões.

Na semana passada, Eduardo Salles participou de audiências com Cássio Peixoto e Marcus Bulhões para tratar exclusivamente sobre a aquisição do fusegate da barragem de Ponto Novo, quando foi informado da reunião técnica marcada para dia 21 de julho. A data da audiência foi confirmada ao parlamentar e ao secretário de Agricultura de Ponto Novo, Zenóbio José da Silva, nesta segunda-feira (11), em Juazeiro, por Jerônimo Rodrigues.

“Meu objetivo é que logo após o acordo técnico com o Banco Mundial ocorra, o governador possa ir a Ponto Novo assinar a ordem de serviço do fusegate, tranquilizando a população”, disse Eduardo Salles.

O fusegate apresenta como vantagem o aumento de 24 % da capacidade de armazenamento da barragem, não ter custos para desapropriações, funciona sem fontes de energia ou funcionários, a instalação é rápida, tem baixo custo de manutenção, é 10 vezes mais econômico e cinco vezes mais rápido.

Na Barragem de Ponto Novo, o fusegate vai aumentar o nível máximo normal em 1,2m e do volume em 9,34 hm³. A expectativa é que a execução da obra demanda alguns meses para ser concluída.

ENTENDA O PROBLEMA

Há quase 20 anos, a Barragem de Ponto Novo foi construída para a implantação do projeto de irrigação no município. A obra permitiu a criação de milhares de postos de trabalho no semiárido baiano. “Hoje apenas 1.200 hectares estão produzindo e gerando cerca de 1.500 empregos diretos, números que correspondem apenas a metade da capacidade”, explica Eduardo Salles.

O restante da área ainda não é cultivada por causa da escassez de água e o direcionamento do recurso para suprir a demanda humana de outros municípios. “O fusegate vai permitir mais segurança hídrica, tanto para o consumo humano das comunidades vizinhas, como à geração de emprego aos jovens que entram no mercado de trabalho”, concluiu Eduardo Salles.

Comentários