Cotações
Ver todas

04 de outubro de 2017

Permanência das Polícias Civil e Militar no sudoeste baiano é solicitada à Secretaria de Segurança Pública

ssp 3

As ocupações de grupos armados em propriedades rurais de Itapetinga e municípios da região sudoeste foi o tema da audiência que o deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa da Bahia, Eduardo Salles, teve com o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, o prefeito de Itapetinga, Rodrigo Hagge, deputados estaduais e representantes do setor agropecuário nesta quarta-feira (4).

Os produtores aproveitaram para agradecer a presteza e rapidez com que o governador Rui Costa e o secretário conduziram as operações que foram fundamentais para conter as ações de homens fortemente armados na região.

“Solicitamos ao secretário Maurício Barbosa a permanência das Polícias Civil e Militar para que a segurança e a ordem sejam mantidas na região. Pontuamos que as ações do estado em toda a região são fundamentais para que outros municípios não sejam atingidos pela ação de bandidos que se dizem índios”, explicou o parlamentar.

Eduardo Salles também destacou o trabalho do Coronel Lira, da Polícia Militar, e do Dr. Roberto Júnior, da Polícia Civil, pelo apoio e agilidade que foram fundamentais no resultado da operação.

O secretário Maurício Barbosa explicou que, inicialmente, o Ministério Público Federal precisa delimitar o papel de cada instituição para que o estado tenha condição de atuar na região de forma legítima e segura. Maurício afirmou que tão logo seja concedida a reintegração de posse, as operações necessárias serão executadas imediatamente. “As demarcações indígenas têm provocado instabilidade jurídica muito grande, mas irei agir sempre que a ordem pública for atentada. Me comprometo, também, a manter os policiais para assegurar ordem pública e expandir a ação para os municípios da região que estejam vulneráveis a ocupações”, disse o secretário.

Estiveram presentes o vice-presidente e o assessor jurídico da FAEB (Federação da Agricultura e Pecuária da Bahia), Humberto Miranda e Carlos Bahia, respectivamente, o diretor do sindicato Rural e liderança política da região, Adriano Alcântara, além de representantes que tiveram suas fazendas ocupadas. Os deputados estaduais Luiz Augusto, Rosemberg Pinto e Pedro Tavares, também participaram da nossa reunião.

OCUPAÇÃO

Nessa semana, parte das fazendas que foram invadidas por grupos armados na região sudoeste foram desocupadas após operação autorizada pelo governo do estado. Os produtores relataram na audiência com o secretário estadual de Segurança Pública, que apenas a Fazenda Esmeralda, localizada em Itapetinga, continua ocupada e que os índios se deslocaram para outras seis fazendas na região de Itajú. Eles esclareceram que nessa região 54 mil hectares já foram demarcados como aldeia indígena.

O presidente do Sindicato Rural de Itapetinga, Eder Rezende, citou que durante reunião realizada na terça-feira (3), em Brasília, o general Franklimberg de Freitas, presidente interino da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), explicou e entregou um documento que garante a inexistência de reivindicação territorial em Itajú, nem procedimentos administrativos referentes a regularização fundiária de competência da Fundação.

Comentários