Cotações
Ver todas

04 de maio de 2016

Governo federal anuncia créditos disponíveis nos planos Safra da Agricultura Familiar e da Agricultura e Pecuário 2016/2017

 

1f7391693a4b283924798d6bd901d42b

O governo federal divulgou nesta terça (3) e quarta-feira (4) a disponibilidade de recursos do Plano Safra da Agricultura Familiar e do Plano Agricultura e Pecuário 2016/2017, respectivamente. Em ambos houve aumento da oferta de recursos quando comparado com a safra anterior.

Para o Plano Safra da agricultura familiar, serão destinados R$ 30 bilhões para o financiamento de projetos individuais ou coletivos destinados à produção de alimentos básicos. O crédito oferecido aos agricultores terá juros abaixo da inflação.

Os agricultores que produzem alimentos com impacto direto nos índices de inflação terão juros reduzidos para 2,5% ao ano. A taxa atual é de 5,5%.

Os valores destinados à próxima safra cresceram quando comparamos com 2015/2016, que foi de R$ 28,9 bilhões, mas o governo federal admite que apenas R$ 22 bilhões devem ser contratados até o fim da vigência do plano, que ocorre no final de maio.

As prioridades estabelecidas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário são a ampliação da produção de alimentos saudáveis com base agroecológica, o estímulo ao plantio de produtos que contribuem para o controle de inflação e aumento da oferta de políticas públicas destinadas à juventude rural.

As linhas específicas para os assentados e um grupo específico do PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) terão juros de 0,5% a 1,5%. Nas demais operações, o índice ficará em 5,5%.

Na Bahia existem cerca de 700 mil agricultores familiares e no país eles são responsáveis por gerar 50% dos produtos que compõem a cesta básica, como arroz, feijão, batata, trigo, café e leite.

PLANO AGRICULTURA E PECUÁRIO

Conforme anuncio feito nesta quarta-feira pela ministra da Agricultura, Kátia Abreu, serão destinados R$ 202,8 bilhões ao Plano Agricultura e Pecuário 2016/2017, que entra em vigor no dia 1 de julho e se estende até 30 de maio.

O valor disponível à próxima safra, segundo o Ministério da Educação, é recorde e representa 8% quando comparado com o ano anterior. Custeio de comercialização terão R$ 115,8 bilhões.

O Ministério da Agricultura informou que os juros foram ajustados para taxas que variam de 8,5% a 12,75%.

Uma das novidades anunciadas foi que na pecuária de corte a aquisição de animais para recria e engorda deixa de ser considerada investimento e entra na modalidade custeio.

Os agricultores irrigantes que aderirem ao MODERINFRA (Programa de Modernização à Irrigação) terão acesso a incentivos na compra de painéis solares e caldeiras para geração de energia autônoma em cultivos irrigados.

Os cafeicultores terão limite maior no financiamento de estruturas de secagem e beneficiamento.

Comentários