Cotações
Ver todas

Notícias

19 de maio de 2017, 17:01

Redução do preço do milho e instalação de armazéns itinerantes são solicitados em audiência na Conab

CONAB

O deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura da ALBA (Assembleia Legislativa da Bahia),  Eduardo Salles, esteve, nesta sexta-feira (19), na Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), em audiência com o superintendente regional, Franklin Andrade, para discutir a redução do preço do milho comercializado no programa Vendas em Balcão. Além disso, o parlamentar solicitou a instalação de armazéns itinerantes nos municípios polos de Bom Jesus da Lapa, Baixa Grande, Amargosa, Jacobina, Jequié, Juzeiro, Maracás, Vitória da Conquista, Seabra, Feira de Santana, Ponto Novo,Chorrochó e Paramirim.

O preço do milho subsidiado, atualmente, está sendo vendido a R$ 33, por saca de 60 kg, publicado na portaria interministerial, em abril deste ano, quando o governo autorizou a venda de 260 mil toneladas de milho subsidiado para as regiões Nordeste e Norte, por meio do Programa Venda em Balcão da Conab. O produto está sendo comercializado com limite de compra de 10 toneladas/mês por beneficiário.

Eduardo Salles ponderou que o valor está alto e informou que um ofício já foi encaminhado para o ministro da Agricultura solicitando a redução. “O valor de R$ 33 está impraticável. Há dois anos, comercializávamos por R$ 18,12. Fiz um ofício para o ministro Blairo Maggi e para o presidente da Conab solicitando, como presidente da Comissão de Agricultura da ALBA, a redução do preço de R$ 33, porque achamos demasiadamente alto, em comparação ao valor anterior”, informou o parlamentar.

O superintendente explicou que o aumento do preço não é estabelecido pela Conab. “Esse preço de R$ 33 não foi estabelecido pela superintendência, e sim pela portaria interministerial, em todos os estados atendidos pelo Programa de Venda de Milho em Balcão”, esclareceu Franklin Andrade.

ARMAZÉM ITINERANTE

A solicitação de instalação dos armazéns itinerantes tem por objetivo facilitar o acesso de produtor ao milho e reduzir o seu custo com transporte, além de garantir a segurança alimentar do rebanho neste período de longa estiagem. Entre os municípios que serão beneficiados com a instalação dos armazéns, estão: Curaçá, Casa Nova, Sento Sé, Sobradinho, Serra do Ramalho, Paratinga, Sitio do Mato, Piritiba, Tapiramutá, Macajuba, Ourolândia, Morro do Chapéu, Bonito, Ipiaú, Ibirataia, Nova Ibiá, Itagibá, Lagedo do Tabocal, Itiruçu, Barra do Choça e Rio do Pires.

Para que a instalação seja realizada, o superintendente da Conab informa que os prefeitos e lideranças dos municípios polo precisam atender a alguns requisitos. “Os prefeitos precisam encaminhar um ofício, mais rápido possível, com todas as informações objetivas do que se propõe a dar, se possível,  com foto do armazém, a localização, onde fica, endereço, tudo especificado.

Após esta etapa, o superintendente garantiu que irá encaminhar estes ofícios com um parecer técnico. “Isso já vai ser submetido à superintendência de armazenagem, para que eles mandem os técnicos fazerem a vistoria para ver se atendem os requisitos ou não, e tendo informações específicas do imóvel. Depois que for feita a vistoria, vai ser submetida a aprovação da diretoria colegiada”, detalhou superintendente.

Franklin Andrade ainda explicou que o objetivo da abertura não está sendo exclusivo para a execução dos programas da Conab. A iniciativa também atende a distribuição de cesta básica e PAA (Programa de Aquisição de Alimentos).

PARA COMPRAR O MILHO 

Para comprar o milho pelo programa,  é necessário fazer um registro no SICAN (Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais), no site da Conab. Depois, comparecer a uma unidade da Conab com cópia do RG e do CPF, comprovantes de endereço e da qualificação da atividade, além de escala de produção/consumo. Clique aqui  e faça seu registro.

No caso dos criadores de bovinos, também é necessária a apresentação de comprovante de vacinação do rebanho contra a febre aftosa. A Conab aceita documentos de outros órgãos de extensão rural ou das entidades de classe. O pagamento do produto é realizado à vista, por meio de GRU (Guia de Recolhimento da União).

 

 

19 de maio de 2017, 11:00

Instituto Federal Baiano oferece 70 vagas em cursos gratuitos no campus de Xique-Xique

Campus Catu (9)O IF (Instituto Federal) Baiano de Xique-Xique divulgou edital de nº 58/2017 para preenchimento de vagas remanescentes em quatro cursos de qualificação profissional no Campus do município. Serão ofertadas 70 vagas em cursos de curta duração na modalidade FIC (Formação Inicial Continuada). Os cursos são gratuitos e não possuem taxa de inscrição.

Interessados podem concorrer às vagas nos cursos de Agricultor Familiar (20 vagas), Fruticultor (26 vagas), Operador de sistemas de Irrigação (4 vagas) e Produtor de Olerícolas (20 vagas). As aulas acontecerão de 5 de junho a 5 de outubro. Edital disponível neste link.

Para o deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Eduardo Salles, está é uma excelente oportunidade de qualificação. ” Com certeza, é uma possibilidade de qualificação importante que pode criar novas oportunidades de inserção no mercado de trabalho”, ressalta o parlamentar.

A inscrição é presencial e deverá ser feita no IF Baiano Campus Xique-Xique (localizado na Rua Virgílio Bessa, 740, Paramelos) no período de 23 a 31 de maio. O preenchimento das vagas será realizado por ordem de chegada.

Pré-requisitos para inscrição, documentos necessários para matrícula, bem como todas as informações referentes ao processo seletivo estão disponíveis no edital. Dúvidas sobre a seleção deverão ser encaminhadas para o e-mail: gabinete@xiquexique.ifbaiano.edu.br.

19 de maio de 2017, 09:35

Obras da Ponte do Pontal e duplicação da BR-415 vão beneficiar Ilhéus e região

MARCUS CAVALCANTI EDUARDO SALLES

Durante audiência com o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, nesta quarta-feira (17), o deputado estadual Eduardo Salles, solicitou informações sobre o andamento das obras da Ponte do Pontal, localizada sobre o rio Cachoeira, na BA-001, e a duplicação da BR-415, rodovia que liga Itabuna a Ilhéus.

Referente as obras da Ponte do Pontal, o secretário Marcus Cavalcanti, afirmou que as obras estão em ritmo acelerado. “A obra está no valor de R$ 110 milhões e a nossa expectativa é que o serviço seja concluído no final de 2018”, explica Cavalcanti.

Já sobre as obras de duplicação dos 18 quilômetros da BR-415, trecho que liga Itabuna a Ilhéus, Cavalcanti afirmou que pendências jurídicas e burocráticas estão sendo resolvidas para dar início ao serviço, uma vez que a empresa já foi selecionada e a licitação realizada.

O secretário aproveitou a audiência para informar que já cobrou as obras que vão dar acesso e melhorar a trafegabilidade dos que precisarem se deslocar ao Hospital da Costa do Cacau, que tem previsão de inauguração para o início do segundo semestre.

O parlamentar comemorou o andamento das obras que vão melhorar a trafegabilidade em Ilhéus e região. “Junto com o ex-prefeito Jabes Ribeiro, o ex vice-prefeito Cacá Colchões, o nosso vice-governador João Leão, o deputado federal Mário Jr. e todo nosso grupo político, batalhamos para levar obras estruturantes ao município. Vamos seguir o trabalho para concretiza-las”, disse.

“Aproveito também para agradecer ao nosso governador Rui Costa e ao secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, pela sensibilidade em entender e agilizar a realização desses serviços”, finalizou o parlamentar.

 

16 de maio de 2017, 14:56

Eduardo Salles propõe realização de fórum para discutir revitalização do rio São Francisco durante Audiência Pública

audiencia_riosaofranciscoRealizada na tarde desta segunda-feira (15), na Assembleia Legislativa da Bahia, a Audiência Pública Conjunta das Comissões de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos; Agricultura;  e Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo discutiu a revitalização do rio São Francisco. O evento contou com a participação do senador baiano Otto Alencar e representante do comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

O deputado e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Eduardo Salles, propôs realização de um fórum entre as comissões para que o assunto seja discutido. “O equilíbrio da preservação do meio ambiente de rios, que estão sendo inundados com esgoto e desbarrancamentos, depende de sustentabilidade através da pesca e da agricultura irrigada. Seria o momento de criar um grande fórum de discussões de todos esses interessados, capitaneado pelo senador (Otto Alencar), para conseguir recursos, a exemplo da iniciativa privada e de todos os segmentos que são beneficiados pelo rio”, explicou Eduardo Salles.

Durante a sua fala, o senador Otto Alencar ponderou que diversas iniciativas foram iniciadas, mas não houve avanço e citou um projeto do Ministério do Meio Ambiente que nunca foi executado. “O Ministério do Meio Ambiente tem um projeto que recebe recursos externos de organismo internacionais, preocupados com o meio ambiente. Esses recursos nunca foram aplicados. Projetos para criar fundos, nós já tivemos um que foi aprovado no Senado e foi para Câmara, mas recebeu despacho e foi para gaveta. O Rio São Francisco é vítima de todos os governos. Nove bilhões e 500 milhões já foram gastos com transposição, mas o que deve ser feito é revitalização do rio”, afirmou o senador.

Eduardo Salles também pontuou sobre a importância do rio São Francisco para geração de empregos. “Esta causa não é só dos irrigantes, dos consumidores de água. A causa do Rio São Francisco é dos nordestinos e dos baianos. O rio São Francisco é um grande gerador de empregos”, acrescentou o parlamentar.

Após o discurso de Salles, o senador Otto Alencar, trouxe informações sobre a atual situação em que se encontra o rio. “O Rio São Francisco nasce na Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas. A nascente do Rio São Francisco secou pela primeira vez em 2015. Hoje, 75% das suas águas são formadas em Minas Gerais, estado conhecido como Caixa D´água do Brasil. Minas Gerais manda água para a Bahia, através do Rio Jequitinhonha. Nasce e desce rasgando os afluentes que não são tão caudalosos, até chegar a barragem de Três Marias. Em consequência dos desmatamentos das nascentes, a crise daqui a dez anos vai ser de luta, por conta da diminuição da água”, explicou Alencar.

Otto Alencar também destacou alguns dados referentes a alguns rios e afluentes que estão sendo prejudicados com a vazão e o assoreamento. “O Rio Paraguaçu leva água e é responsável por 42% da água que a Embasa fornece aos baianos. Diante do que vem acontecendo, a barragem Três Marias está com volume de 29%, nunca foi 29%, sempre foi 60%, 50% de volume de água. A barragem de Três Marias, com aterramento, já tem 30% da barragem aterrada com argila, areia, barro e está com 30% de obstrução, por causa do assoreamento”, concluiu o senador.

Estavam presentes na audiência, os deputados Fábio Souto, Hildécio Meireles e Zó; a representante do CBHSF (Comitê da Bahia Hidrográfica do Rio São Francisco), Yvonilde Medeiros e o representante do secretário da SIHS (Secretaria de Infraestrutura Hídrica), José Olimpo de Moraes.

 

 

12 de maio de 2017, 15:22

Deputado participa de reunião com vice-governador e secretários para discutir ações que evitem desemprego em massa na Chapada Diamantina

DSCN9765[1]

Uma reunião inédita, segundo os produtores rurais do Agropolo Mucugê-Ibicoara, aconteceu nesta quinta-feira (11), na Secretaria Estadual de Agricultura, provocada pelo deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Eduardo Salles, com as presenças do vice-governador João Leão juntamente com mais quatro secretários estaduais, presidentes e superintendentes de órgãos estaduais.

O objetivo foi a busca por ações que minimizem os impactos da seca nas atividades desenvolvidas pelos agricultores na região da Chapada Diamantina e evitem a demissão em massa de milhares de trabalhadores rurais. Outros pontos discutidos na reunião foram a questão de produtores que aguardam há muitos anos o licenciamento de suas áreas, o desembargo de barragens que foram construídas pelos produtores, além da possibilidade de construção de novas barragens que vão permitir a relocação de trabalhadores rurais que estão com seus empregos ameaçados evitando a demissão destes.

A reunião é fruto de duas visitas que o deputado Eduardo Salles fez, acompanhado do vice-governador e depois com o secretário Cássio Peixoto e representantes da Casa Civil, em 2016 e 2017, para identificar as dificuldades enfrentadas pelos produtores da região e avaliar ações que poderiam ser adotadas pelo Estado.

Para Eduardo Salles é preciso criar uma força-tarefa com ações que evitem ou minimizem os danos que podem afetar o setor. “Nós estamos na beira de um colapso econômico e social em toda a região. As chuvas têm diminuído, as condições de produção são precárias e o cenário de desemprego tem crescido cada vez mais. Por isso, conversei sobre este cenário com o vice-governador João Leão, com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, e o secretário estadual de Agricultura, Vitor Bonfim, que resultou nessa reunião”, disse.

As atividades na região já chegaram a gerar seis mil e quinhentos empregos diretos e cerca de vinte mil indiretos, nos municípios de Mucugê, Ibicoara e Barra da Estiva, mas, atualmente, em função da crise hídrica, somente cerca de quatro mil funcionários ainda continuam trabalhando nas maiores fazendas e cerca de mil nas pequenas lavouras de morango, café e hortaliças.

Isto principalmente porque a reserva de água na Barragem do Apertado, em Mucugê, que é a principal fonte hídrica para a produção agrícola na região, tem o armazenamento atual de 11% da sua capacidade, o que tem preocupado os produtores do Agropolo Mucugê/Ibicoara.

Segundo coordenador do Agropolo Mucugê/Ibicoara, Evilásio Fraga, a perspectiva é que uma nova demissão em massa aconteça a partir de julho, após a colheita da lavoura.  “A seca, que tem castigado o estado há seis anos, vem de maneira constante e significativa reduzindo o volume de água armazenada. A expectativa é que antes do novo ciclo de chuva, a Barragem chegue ao volume morto, interrompendo a possibilidade de irrigação. Por isso, estamos todos preocupados com os impactos socioeconômicos e com a possibilidade de desemprego”, destacou.

Em 2013, o então governador, Jaques Wagner, assinou decreto que permitiu a construção, por parte dos produtores, de 10 barragens na região. Entretanto, por divergência jurídica em relação ao decreto, boa parte destas barragens têm água represada, mas estão embargadas pelo Inema ou pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade).

Diante desde cenário, o vice-governador João Leão se comprometeu a articular audiência com o ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho. “Vou ajustar esta agenda com o ministro e tentar encontrar uma solução definitiva para essa questão”, afirmou.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente, Geraldo Reis, organizou uma nova reunião, juntamente com a diretora-geral do INEMA, Márcia Telles, e representantes dos produtores para traçar uma estratégia de ação para cuidar destes assuntos e agendar uma visita à região.

A audiência também reuniu, o secretário estadual de Meio Ambiente, Geraldo Reis, o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, a diretora-geral do INEMA, Márcia Telles, o chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Luiz Gonzaga, Celso Pinheiro, superintendente de Infraestrutura Hídrica da SIHS; José Olímpio, diretor de Revitalização de Bacias da SIHS; Marcelo Nunes Abreu, diretor de Segurança Hídrica da SIHS; o coordenador de Projetos do Agropolo Mucugê/Ibicoara, Evilásio Fraga, e nove representantes de empresas agropecuária da região.

09 de maio de 2017, 11:23

Deputado reforça solicitação de recuperação de rodovias de Itaetê

DSCN9634Em audiência com o secretário estadual de Infraestrutura (SEINFRA), Marcus Cavalcanti, nesta segunda-feira (8), o deputado estadual Eduardo Salles, e a secretária de Infraestrutura de Itaetê, Gevane Damasceno, reforçaram o pedido de recuperação da rodovia BA-245, trecho entre Marcionílio Souza e o entroncamento da BA-142 (Andaraí-Mucugê), passando por Itaetê.

Também foi solicitado o serviço de patrolamento, que consiste na utilização de máquinas para melhorar o pavimento de estradas de chão batido, para o trecho que vai da sede de Itaetê ao distrito de Rumo e para o trecho da  BA-245, entre Marcionílio Souza e o entroncamento da BA-142 (Andaraí/Mucugê).

“Apresentamos ao secretário a necessidade urgente de realização da obra de recuperação da rodovia, pois a estrada está muito deteriorada e o trânsito da população está muito complicado. Enquanto a obra não acontece, queremos que medidas paliativas sejam adotadas”, explica o parlamentar.

O secretário explicou que o contrato para realização da obra está em fase de negociação entre o governo brasileiro e o Banco Europeu. “Em 2015, os deputados estaduais aprovaram orçamento de R$ 200 milhões de dólares para utilização em obras no estado, mas existe um trâmite legal que precisa ser cumprido e isso leva um certo tempo. A recuperação desta rodovia de Itaetê está contemplada no projeto, mas dependemos da liberação do recurso”, esclarece Marcus Cavalcanti.

Cavalcanti ainda explicou que após a fase de negociação no Governo Federal, a pauta segue para votação no Senado. A previsão é que o contrato seja assinado ainda no mês de julho e que até o final de 2017 a licitação da obra será feita.

“Ao lado do prefeito Valdes Brito e do nosso grupo político, irei continuar trabalhando para que possamos entregar ações que beneficiem a população de Itaetê”, ressalta Eduardo Salles.

 

 

 

06 de maio de 2017, 09:57

Instalação de Gasoduto Sudoeste vai movimentar economia e gerar empregos em Ipiaú, Aiquara, Itagibá e Ibirataia

GASODUTO SUDOESTE

Uma reunião e visita técnica com o objetivo de analisar os possíveis impactos da implantação do Gasoduto Sudoeste, foi realizada nesta sexta-feira (5), em Ipiaú. A obra, que é considerada uma das mais importantes da região, será instalada, no primeiro trecho, na divisa entre as cidades de Ipiaú e Itagibá, passando pelos municípios de Aiquara e Itagi, chegando até Jequié.

O encontro teve a presença do diretor-presidente da Bahiagás (Companhia de Gás da Bahia), Luiz Gavazza e o deputado federal Davidson Magalhães e serviu para verificar e debater, junto às lideranças locais, prefeitos e vereadores, os impactos da implantação do gasoduto na região.

Por conta da chuva que atingiu a região de Ilhéus na noite desta quinta-feira (4), o avião que o deputado estadual Eduardo Salles estava não pôde pousar no aeroporto do município, impossibilitando a presença do parlamentar no evento. “Essa seria a minha primeira parada antes de chegar a Ipiaú para marcar presença no evento, mas depois de quase seis horas e várias tentativas de pouso, o mal tempo não permitiu que desembarcasse em Ilhéus”, esclareceu o parlamentar.

Em março deste ano, a Bahiagás publicou, no Diário Oficial do Estado, o edital de concorrência para a contratação de empresas e/ou consórcio especializado para a execução dos serviços de construção e montagem do primeiro trecho do Gás Sudoeste.

Ainda segundo Salles, a ampliação do uso do produto no estado vai promover  benefício, inicialmente, para os moradores de Ipiaú, Aiquara, Itagibá e Ibirataia. “Além do desenvolvimento econômico, com o crescimento de pólos industriais em todo o sudoeste, a chegada do gasoduto vai permitir a criação de empregos durante e após a instalação para os milhares de jovens que estão entrando no mercado de trabalho”, disse.

Essa primeira etapa da obra, com aproximadamente 73 km de extensão, tem prazo estimado de conclusão de 18 meses e custo total orçado em R$ 67,7 milhões. Com extensão total de 306 km e investimentos da ordem de R$ 505 milhões, o duto de distribuição passará por 13 municípios e será o maior do Nordeste e o segundo maior do Brasil.

E para impulsionar ainda mais a economia da região, o deputado estadual afirmou que vai propor a implantação de um Centro Industrial em Ipiaú. “Esse próximo passo é de extrema importância para o desenvolvimento de toda a região, além de gerar competitividade de mais indústrias em Ipiaú e todo o sudoeste. Por isso, vou solicitar uma audiência com o superintendente de Desenvolvimento Industrial e Comercial, Jairo Vaz, para, juntamente com a prefeita de Ipiaú, Maria das Graças, estudarmos essa possibilidade”, afirmou.

Segundo o diretor-presidente da Bahiagás, Luiz Gavazza, a obra vai ampliar a oferta de gás natural na região. “Nestas localidades, o energético atenderá aos segmentos industrial, comercial e automotivo, com destaque para o ramo de alimentos e bebidas e para as grandes mineradoras instaladas na região”, explicou.

A Companhia fornece um energético versátil, que pode ser usado para cocção, aquecimento de água e climatização, além de ser seguro, prático e mais vantajoso do ponto de vista econômico e ambiental.

05 de maio de 2017, 13:08

Solicitação de instalação de sistema de abastecimento de água e unidade do Ponto Cidadão em Rio do Pires

RIO DO PIRES CERB

O deputado estadual Eduardo Salles e o prefeito de Rio do Pires, Vânio de Gildásio, participaram de audiências na CERB  (Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia) e na SAEB ( Secretaria Estadual de Administração), nesta quinta-feira(4), em busca de melhorias para o município. Na oportunidade, foi solicitado ao presidente da CERB, Marcus Bulhões, a instalação de sistema de abastecimento de água para as comunidades de Matão, Curralinho e Cabeça de Onça.

O prefeito explicou ao presidente da CERB, que os poços artesianos já foram perfurados nas três localidades, há cerca de 15 dias, e foi constatada a boa vazão de água de cada um deles. Agora precisa que o sistema seja viabilizado.

Marcus Bulhões informou que está aguardando a análise da água de cada um dos poços para que, posteriormente, a instalação do sistema seja autorizada. Também foram solicitadas informações sobre a construção de uma barragem no município. Bulhões esclareceu que será necessário realizar um estudo topográfico na região para depois dar início à obra.

“Iremos enviar um topógrafo ao município para que este estudo seja realizado. Quanto às demais solicitações, assim que a análise da água for concluída, iremos dar celeridade ao processo”, garantiu Marcus Bulhões.

 

PONTO CIDADÃO

Na SAEB, foi discutida com o secretário Edelvino Góes, a possibilidade de instalação de uma unidade do Ponto Cidadão, por meio de parceria com a Prefeitura, no município.

“Estamos lutando para efetivar conquistas que assegurem à população de Rio do Pires melhores condições de vida. A possibilidade de ter uma unidade do Ponto Cidadão no município representa um importante avanço e, por isso, viemos discutir o assunto com o secretário”, explica Eduardo Salles.

Edelvino Góes afirmou que encaminhará uma equipe da SAEB até Rio do Pires, para que seja identificado o local e possa dar encaminhamento ao processo de avaliação.

“Já que existe o interesse do município em celebrar convênio de parceria com a Secretária, para instalar a unidade, isso já facilita o processo. Nossa equipe fará a visita o mais breve possível e depois daremos uma resposta sobre a viabilidade de instalação da unidade”, afirmou o secretário.

Góes ainda destacou que uma unidade do Ponto Cidadão tem capacidade de emitir mensalmente 1.100 Carteiras de Identidade e 770 Carteiras de Trabalho.

DESENBAHIA

Durante audiência com o presidente da Desenbahia,Otto Alencar Filho,  o prefeito Vânio, acompanhado pelo chefe de gabinete do deputado Eduardo Salles, Maurício Medeiros, discutiu a possibilidade de assinatura de convênio da ordem de R$ 2,7 milhões para investimento em infraestrutura.

Na ocasião, foi ressaltado que a Prefeitura tem cumprido todas as exigências legais ficou acordado que serão enviados à Desenbahia, os documentos e projetos que tratam de melhorias para o município.

“Estamos trabalhando para levar mais desenvolvimento para Rio do Pires. Ao lado do prefeito Vânio, e do nosso grupo político, vamos efetivar muitas ações importantes para o município”, revela Eduardo Salles.

 

 

Página 1 de 7012345...102030...Última »