Cotações
Ver todas

Notícias

28 de dezembro de 2015, 16:28

Notas do Enem serão divulgadas no dia 8 de janeiro

enem

Diante de centenas de apelos de estudantes feitos pelas redes sociais, o Ministério da Educação (MEC) comunicou que as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vão sair no dia 8 de janeiro.”Nós entendemos a ansiedade de vocês e não poderíamos passar o Natal sem divulgar a data do resultado do #‎Enem2015 !”, diz um “post presente” do MEC publicado nas páginas do ministério no facebook e no twitter. “Aproveitem as festas, dia 8 de janeiro está logo ali”.

Além da seleção para vagas em instituições públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com a nota do Enem, o estudante de baixa renda pode tentar uma vaga na educação superior por meio do programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudos em instituições particulares de educação superior.

O resultado do exame também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras e ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Para pessoas maiores de 18 anos, o Enem pode ser usado ainda como certificação do ensino médio.

Fonte: Agência Brasil

22 de dezembro de 2015, 10:18

Governo do Estado empreende ações para fortalecer a pesca na Bahia

Fapesba

“Pesca, aquicultura e carcinicultura são cadeias prioritárias para o governo do Estado, que tem o papel de estimular e estruturar essas atividades, tornando a Bahia autossuficiente na produção de pescado, já que possui potencial e imensa extensão litorânea”, ressaltou o secretário Estadual da Agricultura, Vitor Bonfim, durante a solenidade de posse da nova diretoria da Federação dos Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia (Fepesba). José Carlos Rodrigues, mais conhecido com Zé Carlos da pesca, transmitiu a presidência para o sucessor, Raimundo Costa, antes vice-presidente da instituição, nesta segunda-feira (21), no Hotel Sol Bahia. A Bahia possui o maior litoral do Brasil, com 1.200 quilômetros de costa e 60 bilhões de metros cúbicos de águas continentais aptas ao uso para produção de pescado.

O secretário ressaltou que “o governo vem empreendendo ações de incentivo à pesca, e uma delas será concretizada em 2016, quando o governador Rui Costa vai assinar edital destinando R$ 20 milhões para revitalização da cadeia da pesca”. Outro instrumento implementado pelo governo, através da Bahia Pesca, empresa vinculada à Secretaria da Agricultura (Seagri), é o Centro Vocacional Tecnológico do Pescado (CVTT), construído na Fazenda Oruabo, em Santo Amaro. O objetivo do centro é formar técnicos e empreendedores em pesca e aquicultura no Estado, transformando-os em multiplicadores de conhecimento. “O CVTT possui um frigorífico com grande capacidade de armazenagem para prestar serviços aos pescadores, inibindo inclusive a ação dos atravessadores. Essas ações buscam estruturar a produção do pescado para suprir a necessidade do mercado interno, e impulsionar a exportação”, destacou o secretário.

O presidente da Bahia Pesca, Dernival Oliveira Júnior, chama atenção para importância de unir esforços para fomentar a pesca na Bahia. “A Bahia Pesca está à disposição da Fepesba, para execução de trabalho conjunto. Este edital de revitalização da cadeia da pesca, por exemplo, é um dos resultados fruto de uma ação transversal, que envolve, além da Bahia Pesca, a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) e a Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional”, disse.

O consumo de pescado pelos baianos, de 10 a 11 quilos por pessoa ao ano, está acima da média nacional, e apesar do enorme potencial do Estado para a pesca e aquicultura, a produção não consegue suprir a demanda do mercado interno. Mais de 60 mil toneladas de pescado vêm de fora, de estados como Santa Catarina, Pará, São Paulo, e até mesmo de outros países, a exemplo de Chile e Vietnã.

“O pescador é um produtor de alimento, e deve ser respeitado como tal. Já obtivemos grandes avanços no setor e o desafio de valorizar esses profissionais continua. Flexibilizar o acesso ao crédito, negociação de dívidas, parceria com as prefeituras e órgãos das esferas estadual e federal são algumas de nossas metas para fomentar a pesca e a aquicultura no Estado”, finalizou o presidente empossado da Fepesba, Raimundo Costa.

Fonte: Ascom Seagri

21 de dezembro de 2015, 14:13

Secretaria abre sorteio eletrônico para 10 mil vagas da Educação Profissional

Estudantes

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia abre, nesta segunda-feira (21), a inscrição do sorteio eletrônico para 10 mil vagas dos cursos técnicos de nível médio, na forma de articulação subsequente, da Rede Estadual de Educação Profissional. As inscrições podem ser feitas até 5 de janeiro de 2016, no Portal da Educação. O sorteio será realizado no dia 13 de janeiro, no auditório da Secretaria da Educação, localizado no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.

Para o ano letivo de 2016, são ofertados 37 cursos, distribuídos nos Centros Estaduais e Territoriais de Educação Profissional e seus anexos, de 62 municípios baianos. No ato da inscrição, o candidato deve fazer a opção para um único município, Centro de Educação Profissional, curso e turno.

O curso técnico subsequente é voltado para estudantes, jovens e trabalhadores, que cursaram o nível médio na rede pública, em instituição filantrópica ou em instituição privada na condição de bolsista integral e que desejam fazer um curso técnico. “Nós consideramos que deveríamos manter um percentual significativo de vagas para essas pessoas que terminaram o ensino médio e querem fazer um curso técnico. É claro que nós não dispomos de vagas para todos, por isso a necessidade de um sorteio público”, destacou o superintendente de Educação Profissional da Secretaria da Educação do Estado, Almerico Lima.

Novidade

O diferencial deste ano é que 50% das vagas serão destinadas aos candidatos com maiores notas em Língua Portuguesa e Matemática no último ano do ensino médio ou nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As notas devem ser especificadas no ato da inscrição e, depois, comprovadas no ato da matrícula. “Já existe implantada no Brasil a utilização do resultado do Enem para acesso a políticas públicas, então nós resolvemos fazer o nosso processo seletivo utilizando a nota do Enem para parte dessa vaga”, salientou Almerico Lima.

Matrícula

A matrícula dos estudantes acontece no período de 25 a 27 de janeiro, no Centro de Educação Profissional ou anexo para os quais os alunos forem contemplados. No ato da matrícula, o estudante deve apresentar originais e cópias do CPF, do histórico escolar, da cédula de identidade (RG) e do comprovante de residência. O candidato que optou, na inscrição, pelo rendimento escolar, deve apresentar documento que comprove a veracidade da média final declarada.

Fonte: Ascom/Secretaria da Educação do Estado da Bahia

18 de dezembro de 2015, 11:49

Salvador sedia encontro nacional de gestão de recursos hídricos

bacias_Hidrograficas

Em 2016, Salvador vai sediar pela primeira vez o Encontro Nacional de Comitê de Bacias Hidrográficas, lançado oficialmente nesta quarta-feira (16), em cerimônia realizada no auditório da Secretaria estadual de Infraestrutura (Seinfra), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Para a 18ª edição do evento, que acontece de 3 a 7 de julho de 2016, já começaram a ser definidas pautas de discussão e detalhes técnicos, com temas de palestras e mesas de debate que envolvem a participação de todos os estados brasileiros, de mais de 150 comitês e cerca de 1.500 pessoas.

Organizado pela Secretaria estadual do Meio Ambiente (Sema) e com o tema “A Gestão de Águas acontece aqui”, o evento tem apoio de outras secretarias e órgãos do governo estadual e reúne as principais lideranças na gestão de recursos hídricos no país. Segundo o secretário da Sema, Eugênio Spengler, a ideia é trocar experiências e estabelecer, juntos, metas e dificuldades a serem superadas no setor. “Isso aqui é, antes de tudo, um exercício de aprendizado do que já vem sendo feito no Brasil, de experiências de sucesso, e uma oportunidade para mostrar os nossos desafios. O tema água é estruturante para qualquer política de estado realizada na Bahia e por isso apoiamos e acompanhamos essa discussão de perto”, contou o secretário.

No Brasil são 233 comitês de bacias hidrográficas, 14 delas na Bahia. Cabe a cada comitê a função de gerir, discutir, mediar conflitos sobre recursos hídricos e se reunir no Fórum Nacional de Comitês, que é o responsável por organizar o encontro. Para os coordenadores deste fórum, Affonso Albuquerque Junior e Luis Carlos Souza, cabe também a essas entidades alertar e sensibilizar o poder público quanto à criação de uma agenda política relacionada à água. “Essa agenda faz parte de um processo de melhoria de gestão de recursos hídricos, porque percebemos que os gestores não vêm a água com a mesma importância que os ambientalistas, por exemplo, e é necessária esse tipo de atenção”, explicou Luis Carlos.

Representante do Comitê da Bacia Hidrográfica do Leste baiano, Maria Lúcia Brito, acredita que na Bahia é necessário um diálogo ainda maior com as administrações municipais, para que haja um controle maior na utilização dos recursos hídricos, mais localizado e regionalizado, que pode ser resultado da parceria entre as gestões estadual e municipal. “Temos uma dificuldade, por conta da extensão do estado, de controlar e acompanhar a utilização dos recursos hídricos baianos. Acredito que uma união de forças do Governo do Estado com as prefeituras, que precisam estar mais engajadas, faria esse trabalho ficar facilitado. Essa é uma questão prioritária para a população, uma questão de saúde pública também”, explicou Maria Lúcia.

Fonte: Secom Bahia

17 de dezembro de 2015, 14:08

Novas regras do Fies ajudarão a preencher vagas ofertadas, diz associação

05112010-arquivoalunos1

As novas regras do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) vão ajudar a preencher todas as vagas com financiamento disponível em 2016, disse o diretor executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes), Sólon Caldas. No último processo seletivo, de acordo com ele, 40% das vagas ficaram ociosas porque não correspondiam a todos os critérios do Ministério da Educação (MEC). Agora, as vagas que não forem preenchidas durante o processo seletivo poderão ser redistribuídas entre os cursos da própria instituição superior.

As novas regras do Fies, publicadas segunda-feira (14), estabelecem, entre outros critérios, que 70% das vagas ofertadas irão para os cursos considerados prioritários pela pasta, como os das áreas de saúde, engenharia e de formação de professores. Elas também deverão estar em cursos com maiores avaliações no MEC e em cidades com os menores Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM).

Excluindo-se o critério do IDHM, os demais já foram considerados no processo seletivo do segundo semestre de 2015. A novidade para o ano que vem é que as vagas que não forem preenchidas poderão ser redistribuídas, primeiramente aos demais cursos prioritários com a avaliação máxima no MEC. Depois, deverão seguir a ordem de maior nota no MEC e, por fim, serão direcionadas aos mais concorridos na institução, mesmo não sendo áreas prioritárias.

“De um lado tinha vagas sem ocupação. Do outro, havia muitos alunos pleiteando vagas. Mas a demanda maior não estava nos cursos em que o MEC liberou vagas. Agora, com a flexibilização, uma vez que o Orçamento esteja aprovado, não vai se perder a vaga do curso que tenha maior demanda”, afirma Caldas.

O diretor disse ainda que, ao contrário das primeiras mudanças feitas no fim do ano passado nas regras do Fies, decididas, segundo ele, sem diálogo, as instituições têm sido convocadas pelo MEC para discutir as alterações nas regras do programa. “Fomos convidados pelo MEC para participar de uma rodada de negociações para chegar a um modelo que está mais próximo da realidade. Observamos incoerências no primeiro e no segundo semestre de 2015″.

Uma das sugestões dadas pelas particulares e não acatada pelo MEC foi a redução da nota exigida no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) dos atuais 450 pontos para 400. Segundo Caldas, isso possibilitaria que mais alunos de baixa renda – o limite de renda para participar do Fies é 2,5 salários mínimos – participassem do processo seletivo e possibilitaria maior preenchimento das vagas. A pontuação de 450, no entanto, iguala a exigência do Fies à do Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudo em instituições privadas.

Para os estudantes, as novas regras são positivas. “As mudaças caminham no sentido de dar mais concretude e transparência às regras que já tinham sido divulgadas. Antes, eram priorizadas as regiões mais pobres do país, agora, com o critério sendo o IDHM, consegue-se fazer de uma forma mais precisa a distribuição das vagas”, diz a presidenta da União Nacional dos Estudantes, Carina Vitral.

O Fies é um programa do governo que oferece financiamento em instituições privadas de ensino superior com juros mais baixos. Atualmente, cerca de 2,1 milhões de contratos estão ativos.

Por: Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

14 de dezembro de 2015, 11:11

Produção especializada de chocolate vai valorizar cadeia do cacau na Bahia

chocolate

A Escola Chocolate da Floresta, iniciativa do Instituto Cabruca, situada no município de Ilhéus, recém-lançada em Salvador pelo secretário da Agricultura, Vitor Bonfim, e o presidente do instituto, Durval Libânio, vai realizar o primeiro curso entre os dias 15 e 17 de dezembro. Com o tema “Cadeia de Valor do Cacau ao Chocolate”, o curso envolverá os territórios do Litoral Sul, Baixo Sul e Rio das Contas, que englobam 53 municípios, responsáveis por 80% do cacau produzido na Bahia. “A produção especializada do chocolate vai agregar valor ao produto que já vem sendo reconhecido no cenário internacional, pela qualidade, em eventos como o Salão do Chocolate. A cadeia do cacau está começando a ganhar força, e queremos voltar a viver aquele momento de apogeu histórico da atividade no Estado”, ressaltou o secretário Vitor Bonfim.

A Bahia é o maior produtor nacional de cacau, responsável por 75% desta produção. O Estado vive momento de recuperação e retomada da produção, e investe cada vez mais em qualidade das amêndoas, matéria-prima que tem atraído chocolateiros da Europa. Para divulgar o chocolate baiano e impulsionar o desenvolvimento de toda cadeia do cacau, o secretário da Agricultura afirma que “vamos fomentar o turismo rural, revelar os caminhos da cadeia produtiva do cacau, buscando a parceria da Secretaria de Turismo, valorizando a riqueza natural do Sul da Bahia, e a qualidade do cacau baiano, como já acontece com o café”, disse.

A Escola Chocolate da Floresta foi fundada em quatro de dezembro deste ano e busca tornar o Brasil referência mundial em cacau e chocolate de origem. O objetivo é proporcionar às pessoas e empresas da região o desenvolvimento de talentos e competências em cacau e chocolate, imprimindo conceitos de sustentabilidade, qualidade, origem e inovação. “A escola marca uma evolução na atividade cacaueira da Bahia, e certamente, fará a diferença na produção de chocolate no País”, declarou Libânio. No ano em que comemora seu centenário, o Instituto Cabruca homenageia o escritor Adonias Filho, que versou sobre as riquezas da região cacaueira. A neta do escritor, herdeira de uma pequena fazenda do avô, que cultiva cacau na região, Rosita Velloso, revela que “também quero aprender a produzir chocolate de qualidade e serei uma das alunas da escola”, declarou Rosita.

O cabruca é um sistema agroflorestal que se caracteriza pelo plantio do cacau sob a sombra das árvores da Mata Atlântica, após ter sido “cabrocada”, ou seja, a mata ter sido aberta para plantação dos cacaueiros, preservando as árvores que fazem o sombreamento. O município de Camacan, no Sul da Bahia, abriga a maior Jequitibá do Brasil em área de cabruca. O Instituto do Cacau tem a missão de conciliar a produção agroflorestal de cacau, o combate à pobreza e a conservação da biodiversidade, minimizando os efeitos das mudanças climáticas globais.

Fonte: ASCOM Seagri

10 de dezembro de 2015, 16:34

Com economia em recessão, agronegócio do Brasil ganha fatia no PIB

agronegocio

Numa economia em recessão, o agronegócio brasileiro vai ganhar participação no Produto Interno Bruto (PIB) nacional em 2015, ampliando sua fatia para 23 por cento do total, ante 21,4 por cento em 2014, estimou nesta quinta-feira a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

Isso ocorrerá com todos os setores da economia (indústria, serviços e comércio) apresentando uma queda no desempenho ante o ano passado, enquanto o agronegócio ficará praticamente “estável” ou cairá “menos”.

“Apesar desse cenário um pouco adverso, o PIB do agronegócio aumentou a participação no PIB brasileiro… mostrando que o setor tem contribuído para manter a economia, amenizar os estragos da economia brasileira”, disse o superintendente técnico da CNA, Bruno Lucchi, durante apresentação em Brasília.

O chamado “PIB do agronegócio” mede a geração de riquezas em todas as cadeias do setor agropecuário, desde a produção de insumos até as indústrias de alimentos, passando pela produção nas fazendas.

“Fazendo a segmentação do PIB do agronegócio, a gente observa que o setor que vai mais crescer dentro do agronegócio é o setor de insumos. Principalmente em função do câmbio”, apontou ele.

Segundo Lucchi, os segmentos de defensivos e fertilizantes, que trabalham com matéria-prima importada em sua maioria, tiveram “um incremento muito grande na receita” em função basicamente da alta do dólar ante o real.

“Dentro da porteira (na atividade agrícola), a gente espera um crescimento mínimo…”, completou.

Fonte: Reuters

09 de dezembro de 2015, 10:35

Chamadas públicas beneficiam mais de 40 mil agricultores familiares

agricultura familiar

Dois editais de chamadas públicas para serviços de assistência técnica para 40 mil agricultores familiares, divulgados pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater), no Diário Oficial do Estado de sábado (5 de dezembro), beneficiam mais de 40 mil agricultores familiares.

Uma das chamadas, no valor de R$ 37,8 milhões, específica para Povos e Comunidades Tradicionais (PCTs), contempla cerca de dez mil famílias entre quilombolas, indígenas, fundos de pasto e geraizeiros, de 11 territórios de identidade da Bahia. A outra, de R$ 109,5 milhões, é destinada à promoção da sustentabilidade das unidades produtivas familiares. Nesta ação, vão ser beneficiadas 30.240 famílias de pequenos produtores de 21 territórios de identidade.

O superintendente da Bahiater, Ivan Fontes, explica que a garantia de amplo atendimento da oferta dos serviços de assistência técnica e extensão rural, exige a organização de um sistema interinstitucional, composto pela superintendência, por organizações prestadoras de serviços de assistência técnica, prefeituras municipais e outras instituições públicas que também prestam esses serviços.

“Um aspecto inovador dessa articulação deve ser a ampliação do acesso dos agricultores familiares a outras políticas públicas fundamentais para a inclusão produtiva. O crédito, a infraestrutura rural e o acesso a mercados são fundamentais para a transformação da vida no campo”, afirmou o superintendente. Ele disse que entre os beneficiários 30% devem ser mulheres.

Estão previstas atividades como manejo e conservação do solo, sistemas agroflorestais, gestão de empreendimentos e agregação de valor aos produtos da agricultura familiar, inclusão sócioprodutiva de mulheres, regularização fundiária, economia solidária e autogestão, segurança alimentar e nutricional, instrumentalização e acesso a políticas públicas da agricultura familiar, a exemplo do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), Garantia Safra, Sementes e Mudas. A lista com as entidades selecionadas está disponível no site www. sdr.ba.gov.br

Fonte: Ascom Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR)

Página 10 de 17« Primeira...89101112...Última »