Cotações
Ver todas

18 de março de 2016

Mirabela vai prorrogar avisos prévios de funcionários que venceriam hoje e pode retomar as atividades

Audiência pública

Falta pouco para fechar o acordo que vai garantir a manutenção das atividades da Mineradora Mirabela, sediada no município de Itagibá, e, consequentemente, a garantia dos empregos que aquecem economicamente a região. O deputado estadual Eduardo Salles participou, na manhã desta sexta-feira (18), de conferência telefônica, com a diretora-presidente, Maryse Belanger, e outros membros da diretoria.

Na conversa, o parlamentar conseguiu convencer Belanger a prorrogar o aviso prévio até quarta-feira (23) para que haja tempo de um acordo geral ser selado. O aviso prévio venceria no domingo (20).

“Precisamos da prorrogação do aviso prévio porque pode ser que não consigamos fechar todas as pontas nesta sexta-feira. Então ganhamos tempo, acertamos tudo, no mais tardar na segunda-feira. Tenho a certeza que conseguiremos manter a Mirabela em atividade e preservaremos os empregos”, explica o parlamentar, que pretende, no início da próxima semana, se necessário, marcar reunião com parte ou todos os membros dessa Comissão formada na Audiência Pública de Ipiaú, para a assinatura do acordo geral. “Esse movimento apartidário foi fundamental para conseguirmos o acordo”, acrescentou.

Em relação ao acordo com o governo estadual, a diretoria informou ao deputado que a mineradora vai oficializar, ainda nesta sexta-feira, que aceitam a proposta do governo em relação ao pagamento dos créditos tributários.

O setor comercial da empresa, informou a presidente, já tem conversas avançadas com a China para novas vendas e exportações de cargas. “Esta era uma outra pendência que parece caminhar para um bom resultado”, conta o parlamentar.

A única mudança proposta pela Mirabela é ajustes na área de transporte para diminuir os custos de produção. “Haverá uma adequação para reduzir os custos, mas o número de postos de trabalho será mantido”.

Uma outra dificuldade que a empresa tinha era o embarque de suas cargas no porto de Ilhéus em função do término do benefício concedido, o que diminuía os custos de produção, fundamentais, conforme alega a Mirabela, neste momento em que os preços internacionais do níquel caíram em mais de 50%.

Para mediar essa situação, Eduardo Salles participou de reunião nesta quinta-feira (17) com o presidente da CODEBA (Companhia de Docas da Bahia), José Muniz Rebouças.

“A proposta aprovada por ambas as partes para o embarque da próxima carga da Mirabela pelo Porto de Ilhéus é que a empresa efetive o pagamento da primeira parcela das duas do débito não-discutível. Esse foi o acordo que firmamos na reunião”, esclarece Salles.

“O presidente da CODEBA assumiu também o compromisso de estudar qual será o benefício oferecido à Mirabela para a empresa continuar a embarcar suas cargas no porto de Ilhéus e não onerar tanto seus custos de produção”, acrescentou o parlamentar.

“A resolução do problema tem sido possível graças à participação de senadores e deputados federais e estaduais votados na região que, cada um de seu jeito, independente de bandeira partidária, têm contribuído bastante”, lembrou Eduardo Salles.

FUTURO

Belanger revelou ainda a Eduardo Salles que a Mirabela tem um projeto, chamado Projeto Laterítico, com previsão de início de 2017, de exportação de um minério à Colômbia. “Esse outro empreendimento segundo ela poderá gerar mais 200 empregos na empresa”, concluiu Eduardo Salles.

Comentários