Cotações
Ver todas

07 de abril de 2016

Eduardo Salles trabalha para reverter decisão da Mirabela de demitir mais de mil funcionários

mirabela mineradora

Preocupado com o anúncio feito pela Mirabela Mineração, de colocação de todos os funcionários em aviso prévio a partir desta quinta-feira (7), o deputado estadual Eduardo Salles tenta reverter a decisão da empresa.

Segundo o comunicado oficial da Mirabela, três questões implicam no encerramento das atividades da mineradora: a invasão do MST (Movimento dos Sem Terra) à propriedade da empresa, a falta de acordo com a CODEBA (Companhia das Docas da Bahia) e a ausência de entendimento com o Sindicato dos Empregados sobre o acordo coletivo.
A notícia foi recebida com surpresa pela população e o deputado, que, assim que soube da decisão, passou a buscar alternativas para a situação. “Passei o dia esmiuçando as justificativas dadas pela Mirabela, na tentativa de chegar a uma solução e evitar a demissão de mais de mil funcionários, entre diretos e indiretos”, diz Eduardo Salles.
A empresa já havia entrado em acordo com todos os entes envolvidos na negociação. “Se houve passo atrás ou mudança de planos de alguma das partes, podemos pensar em outras soluções. Minha proposta é que discutamos novamente até que se chegue a um novo entendimento”, explica o deputado.
MST
Há mais de três semanas, militantes do MST ocupam área da empresa. Para tentar solucionar a questão, Eduardo Salles entrou em contato com o chefe da Casa Militar da Bahia, Coronel Gomes. “Ele me disse que enviou hoje para o comando da Polícia Militar o documento encaminhado pelo Judiciário que ordena que a Polícia Militar faça a reintegração de posse”, conta o deputado.
Segundo o Coronel Gomes, a ação demanda planejamento e, por isso, a reintegração deve acontecer nos próximos dias.
NEGOCIAÇÕES COM A CODEBA
O parlamentar agendou audiência com o presidente da CODEBA, José Rebouças, e o diretor da Mirabela, Milson Mundim, que virá de Minas Gerais. “Nessa reunião vamos colocar tudo em pratos limpos e fazer o máximo para que consigamos chegar a um acordo. Rebouças está aberto a negociações “, diz Salles. Em função de ajustes na agenda dos envolvidos, a audiência ficou marcada para a próxima quarta-feira (13).
ACORDO COLETIVO
Em conversa com o presidente do Sindicato dos Empregados da Mirabela, senhor Gilmar, Eduardo Salles sugeriu que seja realizada reunião extraordinária para que o assunto volte à pauta do grupo. “Pedi a sensibilidade dos funcionários para que a proposta da empresa seja revista com calma por eles, levando em consideração o momento de dificuldade pelo qual o país passa”, explica o deputado.
“Não vou deixar esse assunto morrer. Vou fazer tudo o que puder para que as atividades da Mirabela sejam continuadas. Como já diz o ditado: água mole em pedra dura, tanto bate até que fura”, promete Eduardo Salles.

Comentários