Cotações
Ver todas

16 de maio de 2017

Eduardo Salles propõe realização de fórum para discutir revitalização do rio São Francisco durante Audiência Pública

audiencia_riosaofranciscoRealizada na tarde desta segunda-feira (15), na Assembleia Legislativa da Bahia, a Audiência Pública Conjunta das Comissões de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos; Agricultura;  e Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo discutiu a revitalização do rio São Francisco. O evento contou com a participação do senador baiano Otto Alencar e representante do comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco.

O deputado e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Eduardo Salles, propôs realização de um fórum entre as comissões para que o assunto seja discutido. “O equilíbrio da preservação do meio ambiente de rios, que estão sendo inundados com esgoto e desbarrancamentos, depende de sustentabilidade através da pesca e da agricultura irrigada. Seria o momento de criar um grande fórum de discussões de todos esses interessados, capitaneado pelo senador (Otto Alencar), para conseguir recursos, a exemplo da iniciativa privada e de todos os segmentos que são beneficiados pelo rio”, explicou Eduardo Salles.

Durante a sua fala, o senador Otto Alencar ponderou que diversas iniciativas foram iniciadas, mas não houve avanço e citou um projeto do Ministério do Meio Ambiente que nunca foi executado. “O Ministério do Meio Ambiente tem um projeto que recebe recursos externos de organismo internacionais, preocupados com o meio ambiente. Esses recursos nunca foram aplicados. Projetos para criar fundos, nós já tivemos um que foi aprovado no Senado e foi para Câmara, mas recebeu despacho e foi para gaveta. O Rio São Francisco é vítima de todos os governos. Nove bilhões e 500 milhões já foram gastos com transposição, mas o que deve ser feito é revitalização do rio”, afirmou o senador.

Eduardo Salles também pontuou sobre a importância do rio São Francisco para geração de empregos. “Esta causa não é só dos irrigantes, dos consumidores de água. A causa do Rio São Francisco é dos nordestinos e dos baianos. O rio São Francisco é um grande gerador de empregos”, acrescentou o parlamentar.

Após o discurso de Salles, o senador Otto Alencar, trouxe informações sobre a atual situação em que se encontra o rio. “O Rio São Francisco nasce na Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas. A nascente do Rio São Francisco secou pela primeira vez em 2015. Hoje, 75% das suas águas são formadas em Minas Gerais, estado conhecido como Caixa D´água do Brasil. Minas Gerais manda água para a Bahia, através do Rio Jequitinhonha. Nasce e desce rasgando os afluentes que não são tão caudalosos, até chegar a barragem de Três Marias. Em consequência dos desmatamentos das nascentes, a crise daqui a dez anos vai ser de luta, por conta da diminuição da água”, explicou Alencar.

Otto Alencar também destacou alguns dados referentes a alguns rios e afluentes que estão sendo prejudicados com a vazão e o assoreamento. “O Rio Paraguaçu leva água e é responsável por 42% da água que a Embasa fornece aos baianos. Diante do que vem acontecendo, a barragem Três Marias está com volume de 29%, nunca foi 29%, sempre foi 60%, 50% de volume de água. A barragem de Três Marias, com aterramento, já tem 30% da barragem aterrada com argila, areia, barro e está com 30% de obstrução, por causa do assoreamento”, concluiu o senador.

Estavam presentes na audiência, os deputados Fábio Souto, Hildécio Meireles e Zó; a representante do CBHSF (Comitê da Bahia Hidrográfica do Rio São Francisco), Yvonilde Medeiros e o representante do secretário da SIHS (Secretaria de Infraestrutura Hídrica), José Olimpo de Moraes.

 

 

Comentários