Cotações
Ver todas

12 de maio de 2017

Deputado participa de reunião com vice-governador e secretários para discutir ações que evitem desemprego em massa na Chapada Diamantina

DSCN9765[1]

Uma reunião inédita, segundo os produtores rurais do Agropolo Mucugê-Ibicoara, aconteceu nesta quinta-feira (11), na Secretaria Estadual de Agricultura, provocada pelo deputado estadual e presidente da Comissão de Agricultura da Assembleia Legislativa, Eduardo Salles, com as presenças do vice-governador João Leão juntamente com mais quatro secretários estaduais, presidentes e superintendentes de órgãos estaduais.

O objetivo foi a busca por ações que minimizem os impactos da seca nas atividades desenvolvidas pelos agricultores na região da Chapada Diamantina e evitem a demissão em massa de milhares de trabalhadores rurais. Outros pontos discutidos na reunião foram a questão de produtores que aguardam há muitos anos o licenciamento de suas áreas, o desembargo de barragens que foram construídas pelos produtores, além da possibilidade de construção de novas barragens que vão permitir a relocação de trabalhadores rurais que estão com seus empregos ameaçados evitando a demissão destes.

A reunião é fruto de duas visitas que o deputado Eduardo Salles fez, acompanhado do vice-governador e depois com o secretário Cássio Peixoto e representantes da Casa Civil, em 2016 e 2017, para identificar as dificuldades enfrentadas pelos produtores da região e avaliar ações que poderiam ser adotadas pelo Estado.

Para Eduardo Salles é preciso criar uma força-tarefa com ações que evitem ou minimizem os danos que podem afetar o setor. “Nós estamos na beira de um colapso econômico e social em toda a região. As chuvas têm diminuído, as condições de produção são precárias e o cenário de desemprego tem crescido cada vez mais. Por isso, conversei sobre este cenário com o vice-governador João Leão, com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, e o secretário estadual de Agricultura, Vitor Bonfim, que resultou nessa reunião”, disse.

As atividades na região já chegaram a gerar seis mil e quinhentos empregos diretos e cerca de vinte mil indiretos, nos municípios de Mucugê, Ibicoara e Barra da Estiva, mas, atualmente, em função da crise hídrica, somente cerca de quatro mil funcionários ainda continuam trabalhando nas maiores fazendas e cerca de mil nas pequenas lavouras de morango, café e hortaliças.

Isto principalmente porque a reserva de água na Barragem do Apertado, em Mucugê, que é a principal fonte hídrica para a produção agrícola na região, tem o armazenamento atual de 11% da sua capacidade, o que tem preocupado os produtores do Agropolo Mucugê/Ibicoara.

Segundo coordenador do Agropolo Mucugê/Ibicoara, Evilásio Fraga, a perspectiva é que uma nova demissão em massa aconteça a partir de julho, após a colheita da lavoura.  “A seca, que tem castigado o estado há seis anos, vem de maneira constante e significativa reduzindo o volume de água armazenada. A expectativa é que antes do novo ciclo de chuva, a Barragem chegue ao volume morto, interrompendo a possibilidade de irrigação. Por isso, estamos todos preocupados com os impactos socioeconômicos e com a possibilidade de desemprego”, destacou.

Em 2013, o então governador, Jaques Wagner, assinou decreto que permitiu a construção, por parte dos produtores, de 10 barragens na região. Entretanto, por divergência jurídica em relação ao decreto, boa parte destas barragens têm água represada, mas estão embargadas pelo Inema ou pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade).

Diante desde cenário, o vice-governador João Leão se comprometeu a articular audiência com o ministro de Meio Ambiente, Sarney Filho. “Vou ajustar esta agenda com o ministro e tentar encontrar uma solução definitiva para essa questão”, afirmou.

Já o secretário estadual de Meio Ambiente, Geraldo Reis, organizou uma nova reunião, juntamente com a diretora-geral do INEMA, Márcia Telles, e representantes dos produtores para traçar uma estratégia de ação para cuidar destes assuntos e agendar uma visita à região.

A audiência também reuniu, o secretário estadual de Meio Ambiente, Geraldo Reis, o secretário estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento, Cássio Peixoto, a diretora-geral do INEMA, Márcia Telles, o chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Luiz Gonzaga, Celso Pinheiro, superintendente de Infraestrutura Hídrica da SIHS; José Olímpio, diretor de Revitalização de Bacias da SIHS; Marcelo Nunes Abreu, diretor de Segurança Hídrica da SIHS; o coordenador de Projetos do Agropolo Mucugê/Ibicoara, Evilásio Fraga, e nove representantes de empresas agropecuária da região.

Comentários