Cotações
Ver todas

12 de julho de 2017

Agerba garante negociação para resolver impasse no aumento da tarifa do transporte alternativo de Barra do Choça

WhatsApp Image 2017-07-12 at 11.59.03

O deputado estadual Eduardo Salles participou de audiência com o diretor-executivo da Agerba (Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicação da Bahia), Eduardo Pessoa, e o diretor do departamento de tarifas, Bruno Moraes, nesta quarta-feira (12), para discutir a situação do transporte alternativo de Barra do Choça. O parlamentar solicitou que a questão do aumento da passagem no município seja solucionada de forma definitiva.

“Voltei a me reunir com o Eduardo Pessoa porque tive sua confirmação na semana passada que a tarifa do transporte alternativo de Barra do Choça seria reduzida de R$ 5,50 para R$ 4,50. Entretanto, esta determinação da Agerba não foi cumprida e não podemos impor à população um aumento de 22% diante da crise econômica que vivenciamos no país”, ressalta Eduardo Salles.

O diretor-executivo da Agerba garantiu que irá conversar com o presidente da Associação de Transportes Alternativos de Barra do Choça  para que o problema seja resolvido definitivamente. Também foi pontuado que a associação tem direito, previsto em contrato, ao aumento da tarifa, mas que só pode ser aplicado a partir do mês de dezembro. Em acordo com a Agerba, a associação aceitou conceder um desconto no valor da tarifa, que até então, era de R$ 4,50 e cumpria o determinado. Como não ficou estabelecido um prazo limite para a cobrança da tarifa com o desconto combinado, a associação não pode reajustar o valor da passagem para R$ 5,50 sem autorização da Agerba.

“Para que o aumento da tarifa fosse autorizado pela Agerba, seria necessário que a Associação nos informasse o período de vigência do desconto. A partir do momento que não houve essa comunicação, não fica autorizado o aumento da tarifa. Neste momento, a situação é irregular”, esclarece Eduardo Pessoa.

Salles destaca que o trabalho para garantir a redução do preço da tarifa é uma demanda da população e que continuará atento para que seja efetivada. “A nossa intenção não é prejudicar ninguém. Respeito muito o trabalho dos profissionais do transporte alternativo, exemplo disso é que hoje também discuti problemas de uma cooperativa do segmento que atende a população em Lauro de Freitas, município da Região Metropolitana de Salvador. Entretanto, não podemos impor esse aumento, que é ilegal, à população”, explica.

“Também é preciso deixar claro que o nosso pedido de revisão do reajuste diz respeito apenas ao transporte alternativo e não inclui os ônibus. Vou continuar na defesa dos interesses da população e estarei batalhando com o nosso grupo político para solucionar este problema”, conclui o deputado.

Comentários